Ministro da cultura da Ucrânia assegura que Eurovisão vai acontecer no país

O ministro da cultura ucraniano diz que já se fala em encontrar um lugar alternativo para receber o próxima Eurovisão, mas garante não ser preciso pois vai mesmo acontecer na Ucrânia.

O ministro da Cultura ucraniano, Oleksandr Tkachenko, negou a possibilidade de realizar o festival da Eurovisão no próximo ano fora da Ucrânia, depois do grupo Kalush Orchestra ter vencido o evento musical no último fim de semana com a canção folk-rap ‘Stefania’.

“O concurso em si acontecerá na Ucrânia. Já começaram a dizer que ‘vamos procurar locais alternativos’. Não, é 100% [certo que a Eurovisão 2023 será realizado na Ucrânia]”, disse Tkachenko segundo a “Interfax”. Quanto ao local onde decorrerá o evento vai decorrer, o ministro da cultura ucraniano explicou que seria um tema a ser discutido no futuro.

A banda ucraniana Kalush Orchestra e sua música Stefania venceram a Eurovisão 2022 International Song Contest em Turim, Itália, na madrugada de 15 de maio. Isso significa que a Ucrânia vai receber a Eurovisão do próximo ano. Nos segundo finais da atuação, o cantor Oleh Psiuk, que lidera a banda, aproveitou para pedir ajuda para Mariupol, a cidade mais massacrada pelos russos desde o início da guerra, e gritou: “Glória à Ucrânia”.

A vitória teve lugar na noite de sábado e no domingo de manhã um dos membros do grupo, Oleg Psiuk, já estava de partida para a frente de guerra para defender o seu país.

Pouco depois da vitória o presidente ucraniano, Volodomyr Zelensky parabenizou a banda pela vitória. “A nossa coragem impressiona o mundo, a nossa música conquistou a Europa pela terceira vez consecutiva”. O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, admitiu querer que a Ucrânia, “um dia”, organize o festival da Eurovisão já numa cidade de Mariupol “livre, pacífica e reconstruída“.

Recomendadas

Síria: Rússia propõe manter por seis meses envio de ajuda humanitária a zona rebelde

A Rússia propôs emendas a um projeto de resolução apresentado pela Irlanda e Noruega e reduziu o período para as entregas. Apelou ainda para o aumento dos esforços que garantam entregas de ajuda humanitária “completas, seguras e sem restrições” ao longo das linhas de conflito na Síria, indicou a agência noticiosa Associated Press (AP).

EUA: Taxas de juros mais restritivas podem ser necessárias para conter a inflação

No entanto, consideraram que tais medidas são necessárias para desacelerar os aumentos de preços com vista à meta anual de 2%.

França vai assumir 100% do controle da empresa de energia EDF

A decisão, anunciada em sessão no Parlamento, acontece num momento em que as tarifas de eletricidade não páram de subir, situação agravada com a guerra na Ucrânia. O Estado retira assim de bolsa a EDF.
Comentários