Ministro das Finanças defende trajetória do crescimento da economia como positiva

Em resposta ao PSD, Medina abordou a “trajetória do crescimento da economia portuguesa”, citando dados de 2022 e as projeções de hoje da Comissão Europeia relativamente a 2023″

O Ministro das Finanças, Fernando Medina, defendeu, esta sexta-feira, o crescimento da economia portuguesa durante audição com a Comissão de Orçamento e Finanças.

Em resposta ao PSD, Medina abordou a “trajetória do crescimento da economia portuguesa”, citando dados de 2022 e as projeções de hoje da Comissão Europeia relativamente a 2023″.

O governante explicou que Portugal foi dos países mais afetados pela pandemia “pela maior exposição ao sector do turismo do que a maioria dos países europeu”. No entanto, segundo Medina, Portugal sai do processo de 2022, recupera, e entretanto “ultrapassa a União Europeia do ponto de vista do nível de crescimento”.

“O que a Comissão Europeia vem hoje dizer é que nos próximos anos alargará no seu diferencial de crescimento face à zona euro. Isto é, Portugal não só converge como ao longo dos próximos anos – 2023 e 2024 – vai alargar esse diferencial positivo”, referiu Medina.

O Ministro também destacou a “trajetória da dívida”. “Retirar Portugal da dívida pública tem sido uma fragilidade do país que obviamente limita o exercício de margens de liberdade internos do ponto de vista da exposição e execução da sua política – nomeadamente orçamental”, indicou.

Relacionadas

Comissão Europeia revê em baixa crescimento do PIB português em 2023 para 0,7% (com áudio)

A Comissão Europeia reviu hoje em ligeira alta o crescimento do PIB português para este ano, para 6,6%, mas antecipa que em 2023 cresça somente 0,7%, muito abaixo das suas anteriores projeções e abaixo das do Governo.

OE2023: “Choque de preços continuará a marcar a vida de todos”, diz Medina

O ministro das Finanças, Fernando Medina, afirmou hoje que o choque de preços continuará a marcar a vida de todos, uma vez que, apesar de se prever uma redução no próximo ano, a inflação continuará elevada.

Inflação: Fisco já pagou mais de 4,4 milhões de apoios extraordinários

O ministro das Finanças, Fernando Medina, anunciou hoje, no parlamento, que a Autoridade Tributária já pagou 4,4 milhões dos apoios extraordinários aos rendimentos num total de 600 milhões de euros.
Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quarta-feira

A União Europeia deverá divulgar na quarta-feira dados concretos sobre a evolução do emprego no terceiro trimestre deste ano. O indicador é importante na definição da estratégia de política monetária daqui para a frente, já que historicamente sinaliza (ou não) um cenário de recessão – uma preocupação que tem estado na agenda dos bancos centrais.

Adjudicados últimos seis lotes do concurso para fornecimento de serviços à rede SIRESP

O concurso para fornecimento de serviços à rede de emergência SIRESP foi concluído na segunda-feira, antes do prazo, com a adjudicação dos restantes seis lotes, anunciou hoje a empresa que gere o sistema.

Há um “caminho longo” a percorrer no envelhecimento ativo, diz a ministra da Coesão Territorial

“Sabemos hoje mais sobre as maleitas dos mais velhos e sabemos como as evitar”, sublinhou Ana Abrunhosa, reiterando que “todos queremos envelhecer com qualidade”.
Comentários