Ministro das Finanças ucraniano pede ao G20 mais fundos

Segundo o ministro das Finanças da Ucrânia, Serhiy Marchenko, o apoio e financiamento externos ajudarão a normalizar a situação económica do país.

O ministro das Finanças da Ucrânia, Serhiy Marchenko, instou os países do G20 a entregarem parte dos seus recursos – sob qualquer forma -, ao governo ucraniano para que Kiev possa trabalhar em plena capacidade e a continuar a garantir os serviços necessários à sua população em plena guerra, segundo a “Reuters”.

“Nem todos os presentes na sessão são estados doadores. Mas todos eles receberam Special Drawing Rights [SDR] do Fundo Monetário Internacional [FMI]. E se transferirem pelo menos 10% deles para a Ucrânia, isso significaria muito para nós”, disse Marchenko durante a sessão do G20, em Washington, na presença dos ministros das finanças e dos governadores dos bancos centrais do grupo.

Marchenko descreveu os acontecimentos na Ucrânia como uma “crise global” e apelou ao Ocidente para ajudar o país.

Nas palavras do governante, o apoio e financiamento externos ajudarão a normalizar a situação económica do país.

Segundo Marchenko, o orçamento ucraniano está totalmente concentrado na cobertura de despesas humanitárias e sociais e no apoio aos grupos vulneráveis da população.

Em agosto do ano passado, o FMI atribuiu Special Drawing Rights [SDR] equivalentes a 650 mil milhões de dólares (596,86 mil milhões de euros), tendo a Ucrânia recebido mais de 2,7 mil milhões de dólares (1,9 mil milhões em SDR), em conformidade com a sua quota no FMI.

Até 24 de fevereiro, a Ucrânia já tinha gasto todos esses fundos.

Recomendadas

Operação Marquês. Conselho da Magistratura conclui que substituição “não viola princípio do juiz natural”

O Conselho Superior da Magistratura esclareceu hoje, acerca das críticas do ex-primeiro-ministro José Sócrates, que a substituição da juíza do processo separado da Operação Marquês, através do movimento de magistrados, “não viola o princípio do juiz natural”.

Espanha agrava impostos sobre lucros de petrolíferas e elétricas em 2023

Espanha vai avançar com o agravamento de impostos sobre os lucros das empresas energéticas, atendendo à subida dos preços, anunciou este sábado o primeiro-ministro Pedro Sánchez.

Espanha destina mais nove mil milhões até final do ano para responder a subida de preços

O governo espanhol aprovou este sábado um novo plano para responder ao impacto da guerra na Ucrânia na economia e ao aumento dos preços, no valor de nove mil milhões de euros até ao final do ano.
Comentários