Ministro de Bolsonaro avisa França: “É melhor tratarem-nos bem, senão vamos para outro lado”

As declarações do ministro da economia brasileira surgem em resposta às críticas de um ministro francês durante reunião da OCDE.

O ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes, desvalorizou as críticas à política ambiental brasileira, feitas por membros do governo francês, e exigiu um melhor tratamento por parte dos europeus.

“Estão a ficar irrelevantes para nós. É melhor tratarem-nos bem, senão vamos para outro lado. Porque vocês estão a ficar irrelevantes”, disse Paulo Guedes citado pela “Folha de São Paulo”.

Guedes falava sobre uma conversa que teve com um ministro francês durante reunião da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico).  “Tinha lá um ministro que dizia: estão a queimar a floresta. Eu disse: estão a queimar Notre-Dame”, contou Paulo Guedes em referência ao incêndio em Notre Dame, em 2019.

Guedes classificou as acusações “como idiotas” e referiu que a França não foi capaz de impedir o fogo em Notre Dame, que é um quarteirão, mas depois criticam os brasileiros por uma área “maior do que a Europa”.

O governo de Jair Bolsonaro tem sido criticado, desde o começo, pelo aumento das queimadas. Nos primeiros meses do ano, até julho, foram registados 12.906 incêndios, o que representou um aumento de 13%.

À parte das críticas, Guedes comentou também a procura por alternativas ao gás russo e considerou que o Brasil seria uma boa escolha. “O Brasil está muito bem posicionado. Inclusive lá fora”, destacou.

Recomendadas

Guterres condena “veementemente” golpe de Estado no Burkina Faso

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou este sábado “veementemente”, num comunicado, “qualquer tentativa de tomada do poder pela força das armas” no Burkina Faso, um dia após um novo golpe de Estado no país, o segundo em oito meses.

Manifestantes denunciaram repressão violenta sobre ativistas no Irão

Milhares de manifestantes em várias universidades iranianas e em vários países protestaram este sábado contra a repressão sobre movimentos de protesto pela morte de Mahsa Amini, a jovem acusada de violar o código de indumentária da República Islâmica.

Bolsonaro agradece apoio de líderes europeus de extrema-direita, entre eles André Ventura

O presidente Jair Bolsonaro, que pretende ser reeleito no domingo, agradeceu este sábado as mensagens de apoio que recebeu de líderes da extrema-direita da Europa, como o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, ou o líder do Chega, André Ventura.
Comentários