Ministro do Ambiente vai pedir a renovação do mecanismo ibérico na Comissão Europeia

O ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro, e a homóloga espanhola deslocam-se na quarta-feira a Bruxelas para submissão do pedido de renovação do mecanismo ibérico para limitar o preço do gás para produção de eletricidade.

Cristina Bernardo

Fonte europeia anunciou que Duarte Cordeiro e a ministra espanhola com a pasta da Energia, Teresa Ribera, têm uma reunião na Comissão Europeia, em Bruxelas (Bélgica), que terá início pelas 11h30 locais (10h30 em Lisboa).

Ainda não há informação sobre declarações no final da reunião.

Hoje, Duarte Cordeiro anunciou, durante uma audição na Assembleia da República, que o mecanismo europeu permitiu uma redução de 20% no preço da eletricidade, desde a entrada em vigor até ao final de 2022, e gerou um benefício de cerca de 489 milhões de euros.

No dia 09 de janeiro, Teresa Ribera anunciou que Espanha ia solicitar o prolongamento até ao final de 2024 do mecanismo para limitar o preço do gás adquirido para produção de eletricidade em Portugal e Espanha.

Madrid vai apresentar o pedido para “extensão da exceção ibérica além de maio de 2023, enquanto durar esta crise”, sustentou na altura a ministra espanhola, entrevista à televisão espanhola Antena 3.

“Gostaríamos que [o preço máximo do gás para gerar eletricidade] ficasse no valor mais baixo possível, 45 ou 50 euros o megawatt por hora, e que se possa prolongar até pelo menos o final de 2024”, acrescentou.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro português, António Costa, vai jantar em Bruxelas com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

A última vez que Costa e von der Leyen se encontraram foi na reunião do Conselho Europeu de dezembro, onde o primeiro-ministro português defendeu a renovação, a partir de maio, do mecanismo ibérico.

Recomendadas

Terreno da antiga refinaria da Galp em Matosinhos está contaminado, diz APA

A parcela do terreno da antiga refinaria da Galp em Matosinhos que a empresa pretende ceder à câmara para a Cidade da Inovação tem os solos e as águas subterrâneas contaminadas, revelou hoje à Lusa a APA.

Cerca de 3,6 mil milhões de pessoas estão vulneráveis ao aquecimento global

Se a situação não for invertida, em 20 anos ultrapassaremos os 1,5 ºC, o que provocaria a subida do nível do mar, mais chuvas e secas extremas, ondas de calor e temperaturas extremas.

Governo realiza audição pública de propostas das zonas para energia renovável offshore

A audição é aberta a todos os cidadãos, organizações, entidades, municípios que queiram apresentar sugestões.
Comentários