Ministro dos Negócios Estrangeiros de Taiwan defende visita de Nancy Pelosi

O governante condenou os exercícios militares que a China tem realizado junto a Taiwan.

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Taiwan, Joseph Wu, defendeu a visita da presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos da América, Nancy Pelosi, à ilha, e condenou os exercícios militares levados a cabo pela China que se iniciaram na passada quinta-feira, disse numa entrevista à BBC.

“A China tem tentado isolar Taiwan a nível internacional. Ter a visita de alguém como Nancy Pelosi é muito significativo. Isto permite que a comunidade internacional entenda que Taiwan é uma democracia. Queremos manter o status quo de que Taiwan não tem jurisdição sobre a China e que a China não tem jurisdição sobre Taiwan”, disse o governante.

A visita de Nancy Pelosi a Taiwan teve oposição por parte da China que alertou também para as possíveis consequências que essa visita teria para os Estados Unidos.

Relativamente à visita de Pelosi o Gabinete de Trabalho para Taiwan do Comité Central do Partido Comunista da China (PCC) defendeu hoje que o “conluio” do Partido Democrático Progressista (DPP) de Taiwan com os Estados Unidos “trai os interesses nacionais [chineses] e só empurrará” a ilha para o “abismo”.

A China considerou que a visita de Pelosi, “à região chinesa de Taiwan” demonstra uma atitude “extremamente perigosa” dos Estados Unidos, e que tinha um “grande impacto” nas relações políticas entre a China e os Estados Unidos.

Durante a visita a Taiwan Nancy Pelosi considerou que os Estados Unidos “não podiam ficar parados” perante as ameaças da China.

Desde a passada quinta-feira que a China tem realizado exercícios militares junto a Taiwan, e em alguns casos entrando mesmo no território.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Turquia tenta assegurar compra de caças F-16 norte-americanos

O Congresso norte-americano não está especialmente interessado em que a Turquia possa comprar mais 40 caças F-16 norte-americanos. Uma delegação de Ancara vai partir para os Estados Unidos para acompanhar a evolução do problema.

República Srpska aumenta cooperação económica com a Rússia

Apesar das sanções, apesar da possível entrada na União Europeia, apesar da oposição dos restantes elementos da Bósnia-Herzegovina, a parte sérvia de federação está a aumentar o grau de exposição à Rússia.
Comentários