Ministro francês das Finanças considera “obsoletas” regras da divida pública da UE

O ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, considerou este domingo “obsoletas” as regras da União Europeia (UE) que regem a dívida pública e o défice orçamental dos Estados-membros.

O Pacto de Estabilidade e Crescimento, “como um todo, não é obsoleto, mas a regra da dívida pública é”, argumentou Le Maire numa entrevista com sete órgãos europeus de comunicação, duas semanas depois de a França ter assumido a presidência do Conselho da UE, em 1 de janeiro.

“Antes da crise, havia uma diferença de quase 40 pontos percentuais do PIB entre os membros mais e os menos endividados da zona euro. O fosso é agora de mais de 100%”, sublinhou Bruno Le Maire.

“Há várias propostas em cima da mesa” para reformar o Pacto, nomeadamente a de “calendários e objetivos diferentes para cada país”, explicou o ministro.

“Outros avançaram o conceito (…) de que deveria caber aos Estados-membros definir as etapas e as mudanças necessárias nas suas políticas económicas, o que lhes permitiria voltar a ter finanças sólidas”, uma ideia “interessante” para Le Maire.

Em última análise, será necessário “encontrar o equilíbrio certo entre os investimentos necessários para enfrentar os desafios do século XXI e a necessidade de regressar à solidez das finanças públicas”.

Bruno Le Maire disse ainda que espera “ver-se livre” de “todas as restrições sanitárias” ligadas à pandemia de covid-19, até ao final do ano.

Face à propagação da variante ómicron em França, o governo francês reforçou as restrições sanitárias no final de dezembro, nomeadamente encorajando a utilização do teletrabalho, pelo menos, três dias por semana.

Recomendadas

Ucrânia: Macron e Scholz pedem a Putin libertação de 2.500 militares de Azovstal

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o chanceler alemão, Olaf Scholz, pediram este sábado ao presidente russo Vladimir Putin para libertar 2.500 combatentes ucranianos que estavam na fábrica de aço Azovstal, em Mariupol, e foram feitos prisioneiros pelos russos.

PremiumDavos discute globalização na era da desglobalização

Depois da pandemia e da guerra na Ucrânia, a globalização nunca mais será a mesma. Na Suíça, os líderes mundiais tentaram descobrir como será o futuro, com todas as fronteiras e limites que as crises estão a criar.

Ucrânia: Johnson diz a Orbán que pressão máxima sobre a Rússia deve continuar

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, defendeu esta sexta-feira, numa conversa com o seu homólogo húngaro, Viktor Orbán, que a comunidade internacional deve continuar a aplicar “a máxima pressão económica” para debilitar a máquina de guerra russa.
Comentários