Mobiliário e colchoaria crescem nas exportações até setembro

A Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA) revelou que as exportações do setor aumentaram 13% entre janeiro e setembro face ao homólogo de 2013, ultrapassando os mil milhões de euros. O mercado francês é o principal destino das exportações nacionais do setor do mobiliário e colchoaria, com 27% de quota no total, […]

A Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA) revelou que as exportações do setor aumentaram 13% entre janeiro e setembro face ao homólogo de 2013, ultrapassando os mil milhões de euros.

O mercado francês é o principal destino das exportações nacionais do setor do mobiliário e colchoaria, com 27% de quota no total, e cresceu 4% para 271,8 milhões de euros, ficando Espanha em segundo lugar com 269,4 milhões de euros, o que representou um aumento de 10%.

O terceiro maior destino das exportações de mobiliário e colchoaria é Angola, distante dos primeiros dois com um valor de 102,8 milhões de euros, tendo registado uma subida de 2% face aos primeiros nove meses de 2013.

A APIMA salientou “o crescimento homólogo de 156% no Reino Unido posicionando-o no quinto lugar” dos 10 principais mercados de exportações.

Os assentos representaram quase metade das vendas para o estrangeiro durante este período, num valor semelhante ao mobiliário para casa e outros fins, duas categorias que perfizeram 91,71% das exportações do setor.

“As importações registam um crescimento de 16% face a igual período homólogo, fixando-se nos 434 milhões de euros. O saldo da balança comercial sectorial continua superavitário, registando a importância de 591 milhões de euros”, acrescentou ainda a APIMA.

OJE/Lusa

Recomendadas

Cinco milhões para ações de emergência na serra da Estrela até final do ano

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, disse que o Fundo Ambiental disponibiliza, até ao final do ano, cerca de cinco milhões de euros para ações de emergência.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.

PRR: Inspeção-Geral de Finanças já deu parecer positivo a pagamento da 2.ª tranche

A Inspeção-Geral das Finanças (IGF) deu parecer positivo ao pagamento da segunda tranche do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), no valor de cerca de dois mil milhões de euros, seguindo agora o pedido de Portugal para Bruxelas.