Mobilidade Sustentável: conheça a aposta da Schindler

Com a missão de ser cada vez mais sustentável, a Schindler estabeleceu para o ano de 2030 uma redução de 50% nas emissões de gases com efeito de estufa das suas atividades, com base nos dados de 2020.

A tecnologia é o principal motor do desenvolvimento sustentável. Estima-se que, até 2050, 70% da população mundial viverá em zonas urbanas e, sendo as cidades responsáveis pela maioria das emissões de gases com efeito de estufa, será sobretudo aqui que teremos que liderar a taxa de sustentabilidade, devendo cada indústria apresentar soluções que respondam a este desafio comum. No caso da Schindler, apostámos na interligação entre digitalização e descarbonização para, em conjunto com os nossos Clientes, moldarmos as cidades do futuro, proporcionando uma mobilidade urbana inteligente e sustentável. Concretamente, cada nova geração dos nossos produtos proporciona maior eficiência energética e de recursos. Por exemplo, os nossos ascensores mais recentes são 30% mais eficientes em termos de energia do que os seus antecessores imediatos. Para edifícios existentes, temos soluções de retrofit que permitem melhorar significativamente a eficiência energética do ascensor ou escada rolante original, limitando a necessidade de uma substituição total.

Por outro lado, empresas como a Schindler já fabricam estes dispositivos com 80% de materiais recicláveis no caso de elevadores e 90% no caso de escadas rolantes. Isto é apenas parte do esforço que se tem vindo a fazer com a missão de sermos cada vez mais sustentáveis, que se reflete também no processo de fabrico do equipamento, onde cada detalhe é cuidadosamente pensado para minimizar o impacto sobre o ambiente. Do mesmo modo, todo o ciclo de vida do equipamento é também analisado e são estudadas em profundidade formas de melhorar o seu desempenho ambiental e energético.

Tudo isto é complementado pela introdução de novas tecnologias que tornam o equipamento de transporte vertical mais inteligente, capaz de gerir o trânsito de pessoas num edifício com o intuito de distribuir os fluxos de passageiros da forma mais apropriada, reduzindo as viagens desnecessárias e, consequentemente, a utilização de energia. Do mesmo modo, também é possível ativar modos ECO, que reduzem o consumo de equipamento quando o fluxo de pessoas é menor e existem também ferramentas regenerativas capazes de recuperar parte da energia investida na movimentação dos sistemas.

Além disso, as tecnologias permitem monitorizar o equipamento a todo o momento e o seu estado pode ser conhecido em tempo real, as avarias podem ser recuperadas remotamente, evitando assim a necessidade dos técnicos se deslocarem, ajudando a reduzir a pegada de carbono da empresa e reduzindo o congestionamento nos centros urbanos. Tudo isto está de acordo com o compromisso da empresa de promover a mobilidade urbana inteligente e sustentável.

Por outro lado, ao se falar em Sustentabilidade é relevante mencionar que a Schindler está comprometida em alcançar zero emissões de gases de efeito de estufa até 2040. Os objetivos de redução de emissões da empresa baseiam-se em critérios científicos que foram aprovados pela iniciativa Science Based Targets (SBTi), que ajuda as empresas a estabelecerem as suas metas, com vista a um aumento máximo da temperatura global de 1,5°C.

A meta estabelecida para o ano de 2030 envolve uma redução de 50% nas emissões de gases com efeito de estufa das suas atividades, com base nos dados de 2020. Isto inclui emissões diretas, conhecidas como emissões de âmbito 1, que no caso da Schindler provêm principalmente da sua frota de veículos, dos edifícios e processos que fazem parte das suas operações. Integram-se aqui também as emissões indiretas, ou emissões Scope 2, que surgem das suas compras de energia e climatização dos espaços. Por fim, a Schindler está também a trabalhar para reduzir as emissões da sua cadeia de valor, âmbito 3, em 42%.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a  Schindler.

Recomendadas

Black Friday faz volume de pagamentos com Ifthenpay aumentar 18% em novembro

A Ifthenpay, empresa portuguesa especializada e líder de mercado em pagamentos digitais para empresas, anunciou que registou um crescimento de mais 18% ao longo do mês de novembro na movimentação financeira através dos seus pagamentos digitais (+95,5 milhões de euros), e por comparação com período homólogo do ano anterior.

BPI distribui presentes de Natal a crianças no país

A edição de 2022 deverá mobilizar milhares de pessoas – entre trabalhadores sociais, voluntários, colaboradores e clientes do banco – para realizar os desejos de crianças apoiadas por instituições sociais que lutam contra a pobreza infantil em todo o país.

Exigir participação de mulheres em conferências é o novo grito pela igualdade

O BNP Paribas Portugal assumiu o compromisso de garantir 40% de mulheres no Comité Executivo do Banco e no G100 até 2025 e de não participar em conferências em cujos painéis não estejam mulheres. Acordo com movimento francês Jamais Sans Elles foi oficializado no dia 10 de novembro.
Comentários