PremiumMobilização russa sem impacto: Ucrânia continua a recuperar território

Enquanto a União Europeia não se decide sobre o que fazer aos dissidentes russos que não querem ir parar às trincheiras, as tropas ucranianas afirmam que continuam a recuperar largas faixas de terreno. E dizem que a mobilização não está a ter qualquer efeito em benefício da Rússia.

Bucha, Ucrânia

Numa primeira análise do impacto da mobilização russa de mais 200 mil recrutas – que não estarão por certo todos no terreno de guerra – as forças ucranianas afirmam que continuam a recuperar territórios ao inimigo, o que implica que esse impacto é, para já, despiciendo.

As forças ucranianas avançaram sobre Izyum e cercaram Lyman (na região leste de Donetsk), recapturando a cidade e tendo descoberto uma longa fila de veículos civis onde se encontravam, em fuga, 200 soldados russos do Segundo Corpo do Exército. “Houve uma diminuição no nível moral e psicológico do inimigo, levando a numerosos casos de soldados que abandonaram as suas posições”, disse o estado-maior ucraniano, citado pelas agências noticiosas no terreno.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Ucrânia. Sofrimento “não pode tornar-se novo normal”, diz Alto-Comissário da ONU

O Alto-Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Volker Türk, defendeu hoje em Kiev que o sofrimento em que estão milhões de civis em toda a Ucrânia “não pode tornar-se o novo normal”.

“Ameaça russa” leva países nórdico-bálticos a reerguer defesas da Guerra Fria

A “ameaça russa” está a levar os países da região nórdico-báltica a reconstruir infraestruturas de defesa que tinham sido abandonadas com o fim da Guerra Fria, reconhecem analistas.

Hungria veta ajuda à Ucrânia, forçando UE a procurar solução alternativa

Segundo o “Politico”, o veto húngaro significa ainda que as decisões sobre todos os outros assuntos na agenda dos ministros das Finanças —  incluindo uma taxa mínima de imposto corporativo, o plano de recuperação húngaro e a decisão de congelar 7,5 mil milhões de fundos da UE para a Hungria — foram adiados.
Comentários