Moçambique. Filho de ex-Presidente Guebuza vai recorrer da pena no caso das dívidas ocultas

Isálcio Mahanjane, advogado de Ndambi Guebuza, filho do ex-Presidente moçambicano Armando Guebuza, e de outros três arguidos, disse à Lusa que vai recorrer da sentença hoje anunciada no caso das dívidas ocultas.

Maputo, Moçambique

“Vamos recorrer”, referiu, à margem de um intervalo na leitura da sentença, em Maputo.

“Não concordo, porque há uma disparidade entre os factos apurados nos autos e, sobretudo, no julgamento” e “um problema de conformidade deles com a lei”, acrescentou.

Ou seja, “por aquilo que se produziu e foi a acusação, os meus constituintes não têm nada a ver com isto que se disse”, disse o advogado de Ndambi Guebuza, António Carlos do Rosário, ex-director da inteligência económica nos serviços secretos moçambicanos (SISE), Inês Moiane, secretária particular do antigo Presidente Guebuza e seu sobrinho Elias Moiane.

O julgamento e as condenações são “uma campanha de perseguição política”, referiu, dizendo que a ação “visa o pai do Ndambi”, o ex-Presidente Guebuza.

“Eu não tenho dúvida: o plano é mesmo o presidente Guebuza, não é outra coisa”, sublinhou.

Os clientes de Isálcio Mahanjane tiveram sortes diferentes no maior caso de corrupção em Moçambique.

Ndambi Guebuza e António Carlos do Rosário foram condenados, cada um, a 12 anos de prisão e a indemnizar o Estado, de forma solidária, no valor das dívidas ocultas, mais prejuízos (2,6 mil milhões de euros) juntamente com Gregório Leão, antigo diretor-geral do SISE.

Inês Moiane foi condenada a 11 anos de prisão e o sobrinho foi absolvido.

O sétimo dia de leitura da sentença observou uma pausa para almoço, decorrendo esta tarde a leitura da decisão sobre o pedido do Ministério Público para arresto de bens dos arguidos.

Recomendadas

Angola arrecadou 1,95 mil milhões de dólares com a venda de diamantes em 2022

Segundo o chefe do departamento de Planeamento do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatísticas do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Alexandre Garret, do total de diamantes produzidos no ano passado, 8,71 milhões de quilates são provenientes da produção industrial e os restantes da semi-industrial.

Ucrânia. EUA respeitam posição de Moçambique, mas rejeitam neutralidade

“Não podemos ser neutros quando há um país que ataca outro, em particular quando esse país é membro do Conselho de Segurança da ONU”, referiu, numa alusão à Rússia.

Moçambique. EUA querem “redobrar esforços” para combater terrorismo

“Temos de redobrar esforços para repelir o terrorismo e atividades que afetam cidadãos como os de Cabo Delgado e estamos a trabalhar de perto com o Governo sobre esse assunto”, referiu a diplomata em conferência de imprensa antes de deixar a capital moçambicana.
Comentários