Moçambique. UE aprova verba de 20 milhões de euros para apoiar forças ruandesas deslocadas

O Conselho da União Europeia (UE) adotou hoje medidas de assistência militar, incluindo uma verba de 20 milhões, para a força de defesa ruandesa deslocada em Moçambique.

Segundo um comunicado do Conselho da UE, foi adotada uma medida de 20 milhões de euros para apoiar a manutenção da Força de Defesa do Ruanda na província de Cabo Delgado, no norte do país, onde se têm registado ataques terroristas.

A verba destina-se a comparticipar a aquisição de equipamento e a cobrir custos com a manutenção de vias aéreas estratégicas para apoiar a deslocação ruandesa em Cabo Delgado.

A UE adotou ainda medidas de apoio a operações militares na Bósnia-Herzegovina, Geórgia, Mauritânia e Líbano.

A província de Cabo Delgado enfrenta há cinco anos uma insurgência armada com alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

A insurgência levou a uma resposta militar desde julho de 2021 com apoio do Ruanda e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), libertando distritos junto aos projetos de gás, mas surgiram novas vagas de ataques a sul da região e na vizinha província de Nampula.

O conflito já fez um milhão de deslocados, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, e cerca de 4.000 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED.

Recomendadas

Turquia: Erdogan defende legalidade em concorrer a novo mandato

O presidente turco refutou as acusações da oposição sobre a ilegalidade da sua candidatura às presidenciais de 14 de maio, justificando que a alteração do sistema político lhe permite concorrer a um novo mandato.

Kremlin diz que Putin está disponível para conversar com Scholz

O Kremlin disse que Vladimir Putin continua aberto a contactos com o homólogo alemão, Olaf Scholz, na sequência das declarações do chanceler alemão que se mostrou disponível para voltar a falar telefonicamente com o líder russo.

República Checa: Petr Pavel com vitória inequívoca sobre Andrej Babis

Tal como indicavam as sondagens, o general Petr Pavel venceu por quase 20 pontos o seu rival, o empresário Andrej Babis – naquela que foi a maior margem alguma vez conseguida numas presidenciais.
Comentários