Moção de censura a May chumbada

A votação realizou-se no final desta tarde, entre as 18:00 e as 20:00. A contagem esteve a cargo do deputado Graham Brady, presidente da designada comissão 1922 do Partido Conservador. A moção foi chumbada com 200 votos de apoio e 117 contra.

A moção de censura interna à liderança de Theresa May no Partido Conservador foi chumbada com 200 votos de apoio e 117 contra. Assim, a primeira-ministra britânica continuará ao comando dos Tories e do executivo do Reino Unido. A votação realizou-se no final desta tarde, entre as 18:00 e as 20:00, e os resultados foram apresentados às 21:00.

Enquanto decorria a apresentação dos votos secretos – cuja contagem esteve a cargo de Graham Brady, presidente da designada comissão 1922 do Partido Conservador -, a primeira-ministra do Reino Unido terá dito que tenciona deixar o cargo antes das eleições legislativas de 2022, segundo o deputado Alec Shelbrooke, do Partido Conservador e confirmada por outros parlamentares.

“O resultado da votação desta noite é que o partido com assento parlamentar tem confiança”, disse Graham Brady. Seguiram-se aplausos e uma (rápida) reação do líder do Partido Trabalhista, que divulgou um comunicado onde refere que a votação “não causa diferença nenhuma na vida do povo” britânico.

“Vou contestar esse voto com tudo o que tenho (…). Uma mudança na liderança [do Partido Conservador, no governo] agora vai pôr o futuro do nosso país em risco e criar incerteza quando menos precisamos”, disse Theresa May esta manhã, à porta de Downing Street. Nessa declaração ao país, a líder do governo britânico explicou ainda que o voto de confiança é benéfico apenas para Jeremy Corbyn e que um suposto novo dirigente conservador não teria tempo de renegociar o acordo de divórcio, muito menos entraria em funções até dia 21 de janeiro (data legal para a saída).

A contagem da moção de desconfiança aconteceu depois de a governante ter adiado a votação do acordo para o ‘Brexit’ – que recebeu luz verde do Conselho Europeu – no parlamento britânico. Para ‘aguentar o barco’, Theresa May precisava do voto em sua defesa de, pelo menos, 158 deputados.

A saída do Reino Unido da União Europeia está agendada para o próximo dia 29 de março de 2019.

Notícia atualizada às 21h14 

Relacionadas

Jeremy Corbyn: “O voto não faz diferença à vida do nosso povo. O Labour está pronto para governar”

O líder do Partido Trabalhista já reagiu à votação da moção de censura a Theresa May: “A primeira-ministra perdeu a maioria no parlamento, o seu governo está um caos e ela é incapaz de entregar um acordo para o ‘Brexit’ que funcione para o país e coloque os empregos e a economia em primeiro lugar”.

Theresa May pondera demitir-se antes das eleições de 2022

Fontes próximas da primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmam que a líder do Partido Conservador pondera deixar o cargo ainda antes das próximas eleições legislativas no Reino Unido.

Brexit: Deputados conservadores apresentam moção de censura a Theresa May

A primeira-ministra britânica, Theresa May, vai enfrentar esta terça-feira uma moção de censura interna do partido Conservador à sua liderança, anunciou hoje um membro do partido.
Recomendadas

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.

Covid-19: Várias cidades da China relaxam medidas de prevenção epidémica

Várias cidades chinesas estão a abolir algumas medidas de prevenção contra a Covid-19, sinalizando o fim gradual da estratégia ‘zero casos’, que manteve o país isolado durante quase três anos e afetou a economia.
Comentários