ModaLisboa decorre até domingo num novo espaço, a Lisboa Social Mitra

Habituada a percorrer vários espaços da cidade, à 59.ª edição, que decorre sob o tema “Oásis”, a ModaLisboa instala-se no novo polo de inovação social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Embora os desfiles sejam acessíveis apenas por convite, há uma programação paralela acessível ao público em geral, que inclui, além das “Fast Talks”, exposições, performances e uma ‘pop-up store’ de designers nacionais.

A 59.ª edição da ModaLisboa decorre até domingo num novo espaço, a Lisboa Social Mitra, com a apresentação de coleções de novos talentos e criadores de moda consagrados.

Habituada a percorrer vários espaços da cidade, à 59.ª edição, que decorre sob o tema “Oásis”, a ModaLisboa instala-se no novo polo de inovação social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Com moderação da comunicadora cultural Namalimba Coelho, nas “Fast Talks” vai falar-se sobre “o equilíbrio entre a proficiência na inovação digital e a aplicabilidade concreta no Sistema de Moda, até que a sua utilização seja natural e recorrente” e “os desafios contemporâneos” da indústria da moda.

As “Fast Talks” são de entrada livre, mas é necessária inscrição prévia.

As apresentações das coleções decorrem entre sexta-feira e domingo.

Sangue Novo hoje

Hoje desfilam as propostas dos dez participantes do Sangue Novo (Cal Pfungst, Daria Fesenko, Eduardo Moreira, Flourish Society, Inês Barreto, Maltesa, Maria do Carmo Studio, Molly98, Niuka Oliveira, Veehana), concurso destinado a finalistas de cursos superiores de Design de Moda de escolas nacionais e internacionais e jovens ‘designers’ em início de carreira.

“O Sangue Novo é para nós uma plataforma prioritária, porque estamos a lidar com geração cuja ideia de futuro é muito pequena. É muito difícil desenhar o futuro neste momento. Para essas gerações mais novas, o suporte e o apoio, a noção de que não estão sozinhas é absolutamente determinante. Portanto, é muito importante o Sangue Novo, e a WorkStation e o Lab, porque são plataformas de apoio a estas gerações”, referiu a diretora da ModaLisboa, Eduarda Abbondanza, em declarações à Lusa.

No âmbito da WorkStation, apresentam coleções na sexta-feira Arndes, Fora de Jogo e Maria Clara, e no âmbito da Lab, Carolina Machado (sexta-feira), Filipe Augusto (sábado) e João Magalhães (domingo).

Hoje o calendário inclui ainda o desfile de Miguel Flor, a partir dos arquivos do criador, cuja última apresentação na ModaLisboa foi há vinte anos, dez anos depois de se formar em design de moda. “Será uma “celebração e oportunidade de pôr novamente a circular, numa altura em que se fala tanto de circularidade, um trabalho que existiu durante anos”.

No sábado, além das propostas de Filipe Augusto, serão ainda reveladas as coleções de Luís Buchinho, Buzina, Kolovrat, Carlos Gil, Ricardo Andrez, Luís Carvalho e Call Me Gorgeous by Luís Borges.

Para domingo estão agendados os desfiles, além de João Magalhães, de Nuno Gama, Duarte, Ivan Hunga Garcia, Valentim Quaresma, Salsa Jeans X Luís Carvalho, Nuno Baltazar, Dino Alves e Gonçalo Peixoto.

Nesta edição as apresentações acontecem todas exclusivamente em modo presencial, mas serão transmitidas em ‘streaming’.

Embora os desfiles sejam acessíveis apenas por convite, há uma programação paralela acessível ao público em geral, que inclui, além das “Fast Talks”, exposições, performances e uma ‘pop-up store’ (loja temporária, em português) de ‘designers’ nacionais. As exposições, performances e a ‘pop-up store’ podem ser visitadas entre sexta-feira e domingo.

 

 

Recomendadas

Desvendar o enigma Aurélia de Souza

Uma mulher livre e uma artista que cultivou a liberdade. Das suas convicções e visão do mundo, sem deixar de ser fruto do seu mundo e tempo. Aurélia de Souza de seu nome, é o cerne da exposição “Vida e Segredo” no Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto.

“Modo goblin”. A recém-eleita ‘palavra’ de 2022 da Oxford espelha o peso da realidade

O termo refere-se a “um tipo de comportamento que é assumidamente autoindulgente, preguiçoso ou desleixado, tipicamente de uma forma que rejeita normas ou expectativas sociais”. “Dado o ano que estamos a viver, o ‘modo goblin’ ressoa em todos nós que estamos um pouco sobrecarregados neste momento”, disse Grathwohl, citado pelo “The Guardian”.

PremiumNancy Pelosi: o render da guarda da guardiã dos velhos democratas

Devidamente independente para uns, demasidado independente para outros, a “louca Nancy Pelosi”, como Trump lhe chamava, é apenas dois anos mais velha que Joe Biden
Comentários