Modelo, atriz e sniper. Quem era a brasileira que perdeu a vida na Ucrânia?

Thalita do Valle, de 39 anos, lutava ao lado das forças ucranianas em Kharkiv. A cidade foi atacada e a mulher não resistiu.

Thalita do Valle, modelo e ativista das causas animais, estava a combater contra as forças russas em Khakiv, na Ucrânia, quando morreu na sequência de ataques com mísseis e disparos de drones. Estava acompanhada pelo coronel Douglas Búrigo, também ele brasileiro, e outros dois combatentes, um dos quais relatou a situação, em declarações ao portal brasileiro “UOL”.

“Num dos intervalos [dos bombardeamentos em série], saímos do bunker e corremos. Mas, por causa do fogo, a Thalita não saiu. O Douglas voltou para ajudar e não conseguiu sair mais”, lembra.

Thalita, de 39 anos, já tinha experiência em situação de conflitos armados. Quando já tinha cursos de tiro e de socorrista, lutou contra o Estado Islâmico no Iraque, curdistão iraquiano e curdistão sírio.

Ali recebeu treino de atiradora de elite, para integrar os ‘pershmerga’, termo usado pelos curdos para se referirem aos membros do seu exército. Naquele ambiente chegou a registar testemunhos em vídeos que publicava no seu canal de Youtube.

“Ela recebeu treinamento e fez os cursos necessários para ir para a linha de frente. Mas, ao entrar no exército curdo, se especializou em tiros de precisão, com armas longas. A Thalita era do exército feminino e integrava uma linha de frente com atiradoras de elite”, lembrou o seu irmão, Théo Rodrigo Vieira, quando falou ao mesmo portal.

Voltando atrás, Thalita cresceu em São Paulo, no Brasil. Na infância participou em peças de teatro e mais tarde tornar-se-ia atriz. Entretanto, aos 18 anos começou a trabalhar como modelo fotográfica. Estudou direito e esteve envolvida em campanhas de defesa dos direitos dos animais e participou em vários resgates, como foi o caso da na tragédia de Brumadinho (Minas Gerais), que fez 270 mortes em janeiro de 2019.

Recomendadas

Guterres reúne-se hoje com Zelensky e Erdogan na Ucrânia

O encontro vai servir para discutir a situação da central nuclear de Zaporizhzhia e para tentar encontrar uma solução política para o futuro da Ucrânia após a agressão russa.

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

Guterres encontra-se em Lviv com Zelensky e Erdoğan; Pelo menos 21 mortos em explosão na mesquita de Cabul; Agência Internacional de Energia vai liderar delegação na central nuclear de Zaporizhzhia

Alemanha tem gás para menos de três meses se Putin fechar a torneira

O cenário de fecho da torneira, em retaliação pela posição alemã contra a invasão russa da Ucrânia, é cada vez mais real nos corredores do poder em Berlim.
Comentários