Moedas pede união e “inconformismo” e diz a Rio que “não está sozinho”

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, pediu hoje ao PSD que vá para as legislativas unido e com um “inconformismo moderado”, sem extremistas, e disse a Rui Rio que “não está sozinho”.

Carlos Moedas discursou hoje perante o 39.º Congresso do PSD e recebeu a primeira grande ovação da sala do Europarque, que finalmente quase encheu ao fim de um dia de trabalhos.

“As pessoas estão desiludidas com aqueles que querem o poder pelo poder. Só votarão em nós se estivermos unidos. Porque só unidos geramos confiança”, defendeu, agradecendo quer a Rui Rio a confiança que sempre teve em si, quer a Paulo Rangel por “tudo o que fez” por si desde a primeira hora.

Este agradecimento aos dois protagonistas das últimas diretas mereceu dos primeiros gritos “PSD, PSD” que se ouviram desde o arranque da reunião, na sexta-feira à noite.

No entanto, o antigo secretário de Estado de Passos Coelho – outro nome que mereceu muitos aplausos do Congresso – avisou que “a união não é suficiente”.

“Temos que ser concretos e inconformados contra um poder que anestesia o país. Ser um inconformista moderado é vencer sem alianças com os extremos”, disse, num recado implícito sobre a recusa entendimentos eleitorais com o Chega, que excluiu da coligação “Novos Tempos” que venceu as autárquicas.

Moedas apelou ao partido que corra o risco “de querer mudar” e citou Rui Rio, que já disse que sozinho é impossível fazer reformas”.

“E tem toda a razão. Mas Rui Rio, quero aqui dizer-lhe, alto e bom som, que não está sozinho. Tem um partido inteiro atrás de si. Tem um país ávido de mudança consigo”, afirmou.

Moedas disse que, com Rio, estão também “os quase três milhões de votos do professor Cavaco Silva, em 1991” e “os mais de dois milhões de votos de Pedro Passos Coelho, em 2011”, bem como “os dois milhões e meio de votos do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, este ano”.

“Estamos prontos ou não estamos prontos? Assim como mudamos Lisboa vamos mudar o país”, apelou, recebendo nova ovação de pé do Congresso.

Recomendadas

Cavaco e a marcação cerrada ao Governo. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Manuel Pizarro. “A consequência da violação destas regras é a demissão”, diz Chega

O Chega entregou, esta terça-feira, ao final da manhã “uma participação no Tribunal Constitucional para que abra um processo de averiguações”, explicou André Ventura.
Comentários