Moloni comprada pelo grupo norueguês Visma, que continua a reforçar presença na Península Ibérica

O grupo nórdico, que fornece software na nuvem de missão crítica para pequenas e médias empresas (PME) e o sector público comprou, desde 2021, três fabricantes de software de soluções SaaS espanholas para contabilidade, faturação e gestão de tempo, como a Holded, Declarando e Woffu.

A empresa de software portuguesa Moloni foi adquirida pelo grupo tecnológico norueguês Visma, que reforça, assim, a sua presença na Península Ibérica.

O grupo nórdico, que fornece software na nuvem de missão crítica para pequenas e médias empresas (PME) e o sector público comprou, desde 2021, três fabricantes de software de soluções SaaS espanholas para contabilidade, faturação e gestão de tempo, como a Holded, Declarando e Woffu.

Ruben Costa, cofundador e co-CEO da Moloni, fala numa “nova era para a Moloni”: “Ao ingressar na Visma, podemos aproveitar a experiência coletiva de uma das maiores empresas de software da Europa, à medida que continuamos a crescer e a desenvolver a empresa e os nossos produtos”.

A Moloni continuará a operar com a mesma marca, foco e equipa, integrada, porém, num grupo global.

“É com grande prazer que dou as boas-vindas da Moloni à família Visma. Continuamos a aumentar a nossa presença na Península Ibérica, com a ambição de ser o fornecedor preferencial de software ERP para empresas e organizações”, diz Merete Hverven, CEO da Visma, citado numa nota enviada esta quarta-feira à comunicação social.

A Moloni foi criada em 2012 por Ruben Costa e Álvaro Saraiva, fornecendo soluções de software na cloud para faturação e pontos de venda (POS) a mais de 30.000 clientes em Portugal e Espanha.

A Visma abriu, em abril do ano passado, um novo centro tecnológico no Porto, perspetivando chegar aos 200 trabalhadores até 2025.

A “Visma Tech Portugal” tem servido como um dos principais hubs de competência da Visma, com foco no avanço do desenvolvimento em segurança, IA e design de produtos.

Recomendadas

“É importante pensar na estratégia do que se quer para a TAP”, refere administrador da Vila Galé

Gonçalo Rebelo de Almeida considera que é necessário perceber se Portugal quer transformar a TAP numa companhia mais pequena só a Europa ou se o país quer continuar a apostar no seu crescimento.
TAP

Finanças desconheciam bónus de três milhões acordado com CEO da TAP

O antigo ministro João Leão não teve conhecimento do montante do bónus da CEO da TAP que consta do contrato assinado a 8 de junho de 2021.

Premium“Vamos continuar a trabalhar as duas marcas em separado”

Neves e Almeida e CEGOC vão trabalhar em autonomia e com equipas de gestão próprias, mantendo a identidade de cada marca.
Comentários