PremiumMontepio vai lançar banco BEM para reforçar aposta nas PME

Carlos Tavares já tem nome e projeto para o banco de investimento da Caixa Económica. O Montepio Investimento vai passar a BEM – Banco de Empresas Montepio e será estruturado em três áreas.

A Caixa Económica e futuro Banco Montepio vai ter um banco de investimento que se chamará BEM – Banco de Empresas Montepio. Trata-se de um banco de investimento específico para pequenas e médias empresas, com volume de negócios entre 20 e 50 milhões de euros. Carlos Tavares pretende criar um banco que pretende ajudar as empresas a chegar onde chegam as grandes e vai reconverter o actual Montepio Investimento nesse Banco de Empresas Montepio.

“Está a nascer um projeto original na banca de empresas, em Portugal”, diz fonte do banco, que adianta tratar-se de uma “instituição portuguesa” que se chama Banco BEM – Banco de Empresas Montepio, que chega no primeiro trimestre de 2019.

O Montepio pretende ajudar as empresas portuguesas, sobretudo as PME, “que vão poder ter acesso a uma oferta completa, integrada e estruturada que vai muito além do crédito”, diz a mesma fonte. “A banca está muito focada no lado financeiro, mas o Banco BEM vai ter um outro complemento, o lado económico”, garante fonte da instituição liderada por Carlos Tavares. O BEM vai estar estruturado em três áreas.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Oracle e tecnológica portuguesa modernizam sistemas de quatro Caixas Agrícolas

As instituições bancárias do Bombarral, Chamusca, Mafra e Torres Vedras vão implementar novas soluções de banca digital ao longo dos próximos dois anos. O projeto, que decorre até 2024, envolve a migração de dados para a ‘cloud’.

Sindicatos bancários mantêm proposta de revisão salarial para trabalhadores do BCP

Os sindicatos consideram que a proposta do BCP “não é suficiente, nem ajustada à realidade”. E prometem continuar a lutar por uma “atualização justa” para os bancários do banco liderado por Miguel Maya.

Banca europeia vai beneficiar da receita com juros, mas esta será consumida pelo aumento das imparidades para crédito

O relatório conclui que taxas de juros crescentes trazem margem financeira para os bancos europeus, mas custos e imparidades mais altos compensarão os benefícios. Nesta amostra  de 34 maiores bancos europeus não estão incluídos bancos portugueses e há três espanhóis (Santander, BBVA e CaixaBank).
Comentários