Moody’s: Aumento das taxas de juro manterá elevados os empréstimos de TLTRO do BCE aos bancos da zona euro

Os bancos antecipavam que a diferença entre a taxa TLTRO e a taxa de depósito do BCE iria desaparecer. Mas afinal esse fosso parece manter-se este ano.

A Moody’s espera que os bancos europeus prolonguem por um ano os seus empréstimos ao abrigo do principal programa de apoio à liquidez do Banco Central Europeu, os Targeted Long Term Refinancing Operations, ou TLTRO, como resultado da decisão do BCE de aumentar as taxas de juro.

Recorde-se que a Moody’s esperava inicialmente que o sector começasse a reembolsar os seus empréstimos TLTRO a partir de Junho de 2022. Isto porque a actual taxa de empréstimo TLTRO excepcionalmente baixa deve ser realinhada com a taxa de depósito do BCE em 23 de Junho, fechando a oportunidade para os bancos obterem lucros através de um novo depósito de empréstimos TLTRO junto do BCE.

No entanto, os aumentos de taxa pré-anunciados para Julho e Setembro de 2022 manterão a taxa TLTRO abaixo da nova taxa de depósito, incentivando os bancos a manterem por agora os empréstimos contraídos pelo BCE, diz a agência de rating

Num relatório, a Moody´s diz que a arbitragem conduz a um rápido crescimento dos empréstimos do TLTRO. A taxa de empréstimo TLTRO é normalmente alinhada com a taxa média de depósito do BCE ao longo da duração do actual programa TLTRO. No entanto, em Março de 2020, o BCE reduziu a taxa TLTRO para -100 pontos base, abaixo da sua taxa de depósito de -50 pontos base, como medida de apoio à pandemia.

Isto permitiu que os bancos europeus obtivessem lucros repositando os empréstimos TLTRO no BCE. Os empréstimos TLTRO subiram de cerca de 600 mil milhões de euros no final de 2019 para um recorde de 2,2 triliões de euros em Junho de 2021, e mantêm-se aproximadamente ao mesmo nível que em Maio de 2022.

O aumento da taxa alarga a oportunidade de arbitragem. A 23 de Junho, a taxa TLTRO regressará à taxa média de depósitos do BCE. No entanto, como resultado do aumento da taxa prevista pelo BCE, a taxa média de depósitos sobre o actual programa TLTRO será inferior à nova taxa de depósito. Isto irá preservar uma diferença entre a taxa de empréstimo do TLTRO e a taxa de depósito, mantendo em aberto oportunidades de arbitragem, destaca a Moody’s.

O uso de TLTRO influencia a emissão de títulos de cobertura. Os bancos emitem obrigações cobertas para angariar fundos em mercados de capitais, e sob a forma de “emissão retida” para utilizar como garantia para TLTROs. As emissões de dívida em mercado cresceram fortemente em 2022, excedendo os níveis do ano inteiro tanto para 2021 como para 2020 em Maio. Isto deve-se em parte ao facto de alguns bancos terem considerado pagar antecipadamente os seus empréstimos TLTRO a partir de Junho, antecipando que a diferença entre a taxa TLTRO e a taxa de depósito do BCE iria desaparecer. Agora que este fosso parece manter-se, as emissões de dívida em mercado poderão baixar na segunda metade de 2022 e provavelmente voltarão a aumentar em 2023.

“Os rácios de cobertura de liquidez (LCR – Liquidity coverage ratios) irão deflacionar. Não esperamos que os reembolsos da TLTRO no próximo ano provoquem escassez de liquidez. No entanto, as garantias de 1,6 triliões de euros dos empréstimos TLTRO consistem em instrumentos que não se qualificam como Activos Líquidos de Alta Qualidade (HQLAs). Estes serão libertados à medida que os empréstimos TLTRO forem sendo reembolsados, deflacionando alguns dos LCR muito elevados que fora reportados recentemente”, refere a agência de rating.

Recomendadas

BCP entregou 1,16 milhões de euros em ações aos administradores executivos e diretores

Miguel Maya recebeu 1.218.162 ações do BCP, o que, tendo em conta o valor das ações a 24 de junho, de 0,1775 euros, perfaz um total de 216,2 mil euros de remuneração variável atribuída ao CEO. Miguel Bragança, CFO e vice-presidente do banco, recebeu em ações do BCP, a título de remuneração variável, 962.486 ações equivalente a 171 mil euros. O outro vice-presidente, João Nuno Palma, recebeu 937.685 ações, ou 166,5 mil euros.

Montepio. Tomás Correia diz que nunca houve alerta de risco no investimento na PT

O antigo presidente do Montepio, Tomás Correia, disse esta segunda-feira ao Tribunal da Concorrência que nunca houve qualquer indicação de risco na compra de obrigações relacionadas com a PT e que não passou por si a autorização da operação.

BPI e FPF renovam parceria e alargam apoio ao futebol feminino

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e o BPI anunciaram a renovação da parceria até 2024, tendo a assinatura do novo acordo ocorrido esta segunda-feira na Cidade do Futebol.
Comentários