Moody’s diminui perspetiva de Itália para “negativa”

A agência de notação financeira baixou a perspetiva do ‘rating’ de Itália de “estável” para “negativa”. A avaliação está acima de ‘lixo’ mas pode descer, nos próximos meses.

A Moody’s baixou a perspetiva sobre a dívida pública italiana de “estável” para “negativa”. Esta noite, a agência de ‘rating’ norte-americana destacou o “lento progresso” verificado ao nível da prossecução de reformas económicas como motivo da quebra na nota.

A agência de notação financeira atribuiu esta classificação dado que a redução do peso da dívida pública de Itália, cujo valor supera os 130%, deverá sofrer mais uma vez um adiamento, que surge na consequência destas perspetivas mais baixas de crescimento económico do país a médio prazo.

A notícia surge quatro dias depois de o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, ter apresentado a demissão do Governo do país, na sequência da derrota no referendo. A classificação da Moody’s mostra que o país se encontra num nível de impasse político.

Na abertura das Bolsas, esta manhã, o BCP subia 5,3% e já acumulava um disparo de mais de 12 pct esta semana, continuando a acompanhar o ‘rally’ da banca italiana. O Monte dei Paschi, cujas ações escalam quase 6%, disse ontem à noite que pediu ao BCE uma extensão do prazo para completar o aumento de capital, de cinco mil milhões de euros, do final do ano para 20 de janeiro.

Esta quinta-feira, o presidente de Itália, Sergio Mattarela, começa a ouvir os diversos partidos para formar o próximo executivo.

Relacionadas

Bolsas: Lisboa acompanha ‘rally’ pares europeias em dia de Draghi

Ações do BCP disparam mais de 5% pelo terceiro dia seguido, ainda animadas pela banca italiana

Renzi na porta de saída: Orçamento 2017 aprovado

Promessa de Renzi será cumprida. O primeiro-ministro italiano prometeu ao presidente que saía após a aprovação do Orçamento de 2017. O Parlamento de Itália já viabilizou o documento.
Recomendadas

Crise/Inflação: Casais podem receber 125 euros pelo IBAN do reembolso do IRS

O apoio de 125 euros é individual, mas os casais que entreguem o IRS em conjunto e só tenham o IBAN do reembolso deste imposto confirmado nas Finanças recebem o apoio nessa conta bancária, esclareceu hoje fonte oficial.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.

Premium“Dá-se quase uma medalha a quem consegue fugir aos impostos”, diz presidente da APIT

O presidente da APIT salienta que Portugal está a braços com a economia informal e que são precisas políticas de cidadania na área.
Comentários