Moody’s não se pronuncia sobre Portugal, que continua com divida soberana avaliada em “Baa2” com perspetiva estável

A 17 de setembro do ano passado a agência norte-americana tinha-se pronunciado sobre a divida soberana portuguesa e na altura subiu a notação da dívida portuguesa de “Baa3” para “Baa2”, com perspetiva estável.

A Moody’s escolheu não se pronunciar sobre a dívida soberana de Portugal, como estava previsto e como tal Portugal continua com divida soberana avaliada em “Baa2” com perspetiva estável.

A 17 de setembro do ano passado a agência norte-americana tinha-se pronunciado sobre a divida soberana portuguesa e na altura subiu a notação da dívida portuguesa de “Baa3” para “Baa2”, com perspetiva estável. A  Moody’s explicou que tinha melhorado o rating devido à expectativa de melhoria do crescimento da economia no longo prazo e a confiança de que a dívida pública iria voltar à trajetória descendente.

A avaliação da Moody’s deveria decorrer duas semanas depois de a Fitch ter revisto em alta a perspetiva do “rating” português para “positiva”. É esperado que a Moody’s olhe para o “rating” de Portugal a 18 de novembro.

Recomendadas

Bruxelas quer emitir 50 mil milhões de euros em obrigações para financiar NextGenerationEU

Bruxelas anunciou o programa de financiamento para entre julho e dezembro.

Bruxelas favorável a reprogramação de investimentos face aos preços

A Comissão Europeia respondeu hoje favoravelmente à solicitação de Portugal e outros Estados-membros para que os programas de investimentos dos Planos de Recuperação e Resiliência (PRR) possam ser reprogramados, face aos preços “anormalmente elevados”, revelou o primeiro-ministro.

DECO questiona porque Espanha reduz IVA para 5% e Portugal não

“O pagamento da fatura de eletricidade e gás tem um peso considerável no orçamento das famílias portuguesas, pelo que consideramos que a redução do IVA é uma medida adequada, necessária e urgente”, escreve a DECO.
Comentários