Moody’s prevê um maior aumento no preço das casas em Portugal

“Continuamos a prever inflação nos preços de imobiliário em Portugal entre os próximos 12 a 18 meses, especialmente nas áreas “prime” de Lisboa,” refere Greg Davies, vice presidente e analista sénior da Moody’s.

A Moody’s prevê que os preços das habitações em Portugal vão aumentar ainda mais em Portugal, apontando que “as condições nos mercados de trabalho – e o alto nível de investimento em imobiliário português por entidades estrangeiras, são as razões principais que sustentam o mercado imobiliário”, diz a agência.

Num relatório enviado esta quinta-feira, Greg Davies, vice presidente e analista sénior da agência de rating, refere que “continuamos a prever inflação nos preços de imobiliário em Portugal entre os próximos 12 a 18 meses, especialmente nas áreas “prime” de Lisboa”.

No entanto, a Moody’s deixa o aviso para as zonas mais nobres das cidades de Lisboa e Porto, nas quais “o mercado imobiliário nessas áreas está a acelerar a um passo fora do normal, especialmente considerando que os níveis de rendimento das famílias não parecem ter acompanhado o mesmo crescimento dos preços imobiliários dessas áreas”.

Por outro lado, a agência de rating sublinha que “estas condições de mercado mais favoráveis são positivas para obrigações hipotecárias (‘covered bonds‘) porque o aumento dos preços do imobiliário, tanto reduz o risco de perdas sobre hipotecas imobiliárias (créditos bancários com hipoteca) que apoiam tais transações, como baixam o endividamento, medido pelo ‘Loan-to-Value‘ das carteiras de hipotecas que apoiam essas transações”.

 

Recomendadas

GuestReady expande operações de Alojamento Local para a Região Autónoma da Madeira

A aquisição da AYS Madeira Property Management marca a estreia do grupo especializado na gestão de alugueres a curto e médio prazo naquela região, depois de já ter adquirido a Oporto City Flats, em 2019, e a The Porto Concierge, em 2021.

ORES Portugal compra três hipermercados por 26,2 milhões que alugará ao Continente (com áudio)

Os três ativos imobiliários são objeto de contratos de arrendamento de longa duração com o Continente, do grupo Sonae, segundo um comunicado da SIGI do Bankinter e da Sonae Sierra.

Renda média da habitação com aumento homólogo de 320 euros em novembro

Em relação a novembro de 2021, os valores das rendas mais do que duplicaram em Évora (111,3%), que passou a ser o terceiro distrito mais caro (1.234 euros) depois do Porto e Lisboa, onde o valor da renda chega quase aos dois mil euros.
Comentários