Morreu Verónica Forqué, a atriz de Kika de Pedro Almodóvar

A atriz espanhola Verónica Forqué, a Kika do filme homónimo de Pedro Almodóvar e vencedora de quatro prémios Goya, foi hoje encontrada morta em casa, em Madrid, de acordo com as forças policiais locais.

A artista de 66 anos, além de ter conquistado quatro prémios Goya, foi premiada com dois Sant Jordi, três Fotogramas de Plata e também agraciada nos festivais de Valladolid e Málaga, entre outros.

Verónica Forqué foi uma das ‘chicas’ [meninas, em português] dos filmes de Almodóvar e, mais tarde, através de Fernando Colomo, Manuel Gómez Pereira, Manuel Iborra e Joaquín Oristrell, “uma das caras principais da comédia espanhola”.

Pedro e Agustín Almodóvar e toda a equipa da produtora El Deseo lamentaram óbito, dizendo que era “uma atriz extraordinária e uma pessoa insubstituível”.

“De toda a família El Deseo, queremos enviar todo o nosso amor à família de Verónica nestes momentos dolorosos. O vazio que isso deixa nas nossas vidas e no cinema é irrecuperável”, assinalaram os irmãos Almodóvar, numa nota enviada à agência de notícias EFE.

E acrescentaram: “resta-nos uma atriz extraordinária e uma pessoa insubstituível com quem tivemos a honra de trabalhar e partilhar a vida. Faça uma boa viagem, Verónica. El Deseo será sempre a sua casa”.

Verónica Forqué trabalhou desde o início da carreira com Pedro Almodóvar, participando em três dos seus filmes: “Qué he hecho yo para merecer esto” (“Que fiz eu para merecer isto”, em português) (1984), “Matador” (1986) e “Kika”, (1993).

Antonio Banderas, que trabalhou com a atriz em “Matador” e em “Descend al moro” (1986), homenageou Verónica Forqué no Twitter, considerando-a “uma mulher doce, espiritual e boa companheira”.

Recomendadas

Real Fado e Museu da Água juntam-se para concertos de fado intimistas na Galeria Subterrânea do Loreto

A primeira sessão arranca hoje, no Dia Mundial da Música e no Dia Nacional da Água, e decorre todos os meses numa das cinco galerias do sistema Aqueduto das Águas Livres.

Festival Futurama arranca amanhã em Mértola

Ao longo de quatro fins de semana, o Baixo Alentejo abre-se ao público como um laboratório de experimentação e de apresentação de diálogos transdisciplinares, com mais de 40 artistas portugueses e espanhóis em espaços patrimoniais, culturais e naturais.

“Discover the Art of the Airport” no Aeroporto Internacional de Hamad

O Qatar tornou-se num dos primeiros países do Golfo a estabelecer um programa de arte pública contemporânea abrangente, liderado pelo Qatar Museums, com o objetivo de integrar a arte na vida quotidiana. O programa incluiu aproximadamente 70 obras de mais de 60 artistas do Qatar, do Médio Oriente e de todo o mundo.
Comentários