PremiumMortágua ataca ‘banca sombra’ e criptomoedas

A deputada bloquista revisitou o seu livro “No Sonho Selvagem do Alquimista”, considerando que o monopólio da criação de moeda visa a estabilidade financeira, pelo que soluções descentralizadas aumentam o risco de crise.

Cristina Bernardo

A próxima crise financeira será causada pela chamada ‘banca sombra’, projeta Mariana Mortágua, que defende uma visão da moeda como dívida de forma a melhor compreender o funcionamento dos mercados financeiros.

Na oitava conferência do ciclo “Pensar a Economia”, organizado pela Caixa Geral de Depósitos com o Jornal Económico como media partner, Mariana Mortágua foi a principal convidada e defendeu as ideias expressas no seu livro “No Sonho Selvagem do Alquimista”. Neste, a deputada bloquista argumenta que a moeda pode e deve ser vista como dívida, o que permite “compreender melhor as crises financeiras”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumEmpreendedores aceleram inovação nas grandes empresas

Portugal tem um enquadramento propício ao empreendedorismo, que é aproveitado pelas corporações para acelerarem os seus processos de inovação. Projeto da Galp com a Sensei para o retalho é um exemplo deste tipo de parceria.

Premium“A prazo, todos pagamos” problema da precariedade, diz Renato do Carmo

Precariedade impacta a sustentabilidade da Segurança Social e retira o papel de inclusão social ao trabalho, defende o investigador.

Sensei quer ser maior player mundial em lojas autónomas – Vasco Portugal

Conferência “Stratups: o motor de inovação do mundo corporate” contou também com a participação de Ana Casaca, Global Head of Innovation da Galp; João Diogo, Head of Retail da Galp; e Diogo Pinto Sousa, diretor-executivo para Small Medium and Corporate Markets da Microsoft Portugal.
Comentários