PremiumMota-Engil entra no Panamá e no Canadá

Depois dos recentes contratos para entrar nos mercados da Nigéria e Argentina, grupo português já está presente em mais de 30 mercados externos.

A Mota-Engil está a registar em 2018 um novo ano de consolidação da sua expansão internacional, tendo já ultrapassado as três dezenas de mercados externos em que marca presença neste momento.

Depois de nos últimos dois meses ter conseguido chegar a acordo para uma parceria que lhe permitirá a entrada na Nigéria, considerada uma das economias mais pujantes de África, e de ter garantido cerca de um terço da participação num consórcio para uma concessão rodoviária num outro novo mercado na América do Sul, a Argentina, o grupo liderado por António Mota e Gonçalo Moura Martins prepara-se agora para entrar em mais dois novos mercados no continente americano: o Panamá e o Canadá.

De acordo com a mais recente revista interna do grupo Mota-Engil, a ‘Sinergia’, a construtora portuguesa já abriu, no início de 2018, um escritório de representação na Cidade do Panamá, capital do país do mesmo nome, situado na América Central.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Relacionadas

Mota-Engil entra na Argentina com concessão rodoviária a 15 anos

O investimento previsto, a realizar nos primeiros cinco anos da concessão, ascende a cerca de 768,5 milhões de euros (900 milhões de dólares).
Recomendadas

Alemanha reitera apoio a gasoduto nos Pirinéus e diz que França não excluiu projeto

O chanceler alemão destacou que este projeto tem uma perspetiva de longo prazo e que, para além do transporte de gás no imediato, servirá para fornecer outras energias, como hidrogénio, no futuro.

“Nova atitude da TAP perante os gastos terá de abranger também os pilotos”, desafia SPAC

Sindicato dos Pilotos diz que “enquanto uns têm cortes brutais no seus vencimentos” e ainda há “processos de despedimento em curso”, renova-se o parque automóvel dos cargos de direção “com 79 viaturas”.

TAP diz que renovação da frota automóvel permite poupar anualmente 630 mil euros

A TAP diz que a opção de comprar 50 BMWs representa uma poupança superior a 20% do valor mensal da renda e tributação, relativamente a novos contratos de renting e está em linha com o plano de reestruturação.
Comentários