Mota-Engil ganha contrato mineiro no Peru no valor de 125 milhões de euros

Desta forma, a subsidiária Mota-Engil Peru aumenta a sua carteira de encomendas em cerca de 150 milhões de euros, suportando-se na parceria de longo prazo mantida com as principais empresas mineiras com atividade naquele paíse sul-americano.

Mota-Engil

A construtora Mota-Engil, liderada por António Mota e por Gonçalo Moura Martins, acaba de anunciar ter ganho a adjudicação de três novos contratos de exploração mineira no Peru, no valor global de 125 milhões de euros.

“Os trabalhos agora adjudicados correspondem à ‘Construcción del Dique Corredor y Manejo de Aguas’ e ao ‘Estudo e Construcción de Hospital’, terão início imediato e um prazo de conclusão de 33 meses”, revela um comunicado da Mota-Engil enviado há minutos para a CMVM – Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Segundo esse comunicado, “com estas adjudicações, e outras obras de menor dimensão recentemente adjudicadas, a Mota-Engil Peru aumenta a sua carteira de encomendas em cerca de 150 milhões de euros, suportando-se na parceria de longo prazo mantida com as principais empresas mineiras com atividade no Peru, o que potencia a recuperação do volume de negócios do grupo numa região especialmente afetada pela atual crise pandémica”.

Recomendadas

Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro e empresa Verallia Portugal fecham aumento de 140 euros/mês

A partir de 1 de janeiro, o salário mais baixo da tabela salarial nesta empresa de fabrico e reciclagem das embalagens de vidro passará a ser 1.260,00 euros.

Mota-Engil assina contrato de concessão em Angola no valor de 450 milhões de dólares

O contrato tem um prazo inicial previsto de 30 anos e prevê um investimento total de 450 milhões de dólares (451,8 milhões de euros), dos quais 166 milhões de dólares em infraestruturas e 70 milhões em material circulante.

PremiumMota-Engil investe 40 milhões em Campanhã

Antigo matadouro no Porto vai dar lugar a onze edifícios com áreas entre os 374m2 e os 2.408m2, para utilização empresarial, restauração e escritórios. Parte do espaço estará alocado a um projeto municipal de arte e cultura.
Comentários