Mota Engil sobe 3,5% e puxa por ganhos no PSI20

O principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, segue hoje a avançar 1,40%, acompanhando a tendência da restante Europa, com as ações da Mota Engil a dispararem mais de 3,5%. O PSI20 segue a negociar nos 5.201,08 pontos, com 15 dos 18 títulos que o compõem a negociarem positivos, dois inalterados (a Teixeira Duarte […]

O principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, segue hoje a avançar 1,40%, acompanhando a tendência da restante Europa, com as ações da Mota Engil a dispararem mais de 3,5%.

O PSI20 segue a negociar nos 5.201,08 pontos, com 15 dos 18 títulos que o compõem a negociarem positivos, dois inalterados (a Teixeira Duarte e o Banif) e apenas um negativo

A liderar os ganhos seguem a Mota Engil e a Semapa, que avançavam 3,52% e 2,17% para 3,40 euros e 9,66, respetivamente.

A impulsionar os títulos da construtora portuguesa está o anúncio do presidente da Mota-Engil, António Mota, de ter ganho um contrato para o desenvolvimento de um grande empreendimento turístico nos próximos 10 anos no México, num valor de 1.500 milhões de dólares (1.330 milhões de euros).

O anúncio foi feito por António Mota em Guadalajara, no âmbito da delegação portuguesa ao México liderada pelo vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, e ministro da Economia, António Pires de Lima, que integra cerca de 50 empresas portuguesas.

A Mota-Engil vai desenvolver o projeto turístico nos próximos dez anos em conjunto com sócios locais e o turismo do México, incluindo as obras “todas as infraestruturas do empreendimento” e o início da “construção de quatro hotéis que irão ser a concessionados a exploradores”.

Do lado das perdas seguia isolada a Impresa, com as ações a desvalorizarem 0,81% para 0,98 euros.

Lisboa seguia a acompanhar o sentimento das principais praças europeias, com os investidores a acompanharem a divulgação dos resultados relativos ao terceiro trimestre nas empresas e à espera da decisão da Fed sobre o seu programa de estímulos económicos.

OJE/Lusa

Recomendadas

Euribor sobem a três e 12 meses para novos máximos e mantêm-se a seis meses

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno positivo em 6 de junho, manteve-se hoje em 1,803%, um máximo desde setembro de 2011.

Bankinter alia-se à gestora Edmond de Rothschild para lançar um fundo que investe no metaverso

O Bankinter torna-se o primeiro banco em Portugal a lançar um fundo de investimento centrado na indústria que desenvolverá o metaverso.

Libra esterlina cai para o nível mais baixo de todos os tempos

A queda aconteceu depois de o ministro das Finanças Kwasi Kwarteng ter anunciado cortes históricos de impostos, e o maior aumento no endividamento desde 1972.