Movimento no Brasil convoca novo protesto contra aumento de preços dos transportes

O Movimento Passe Livre (MPL), que iniciou uma onda de manifestações no Brasil em junho de 2013, convocou pela rede social Facebook um novo protesto contra o anúncio dos aumentos dos bilhetes do transporte público em São Paulo. O protesto, convocado para o próximo dia 09 de janeiro, em frente ao Teatro Municipal de São […]

O Movimento Passe Livre (MPL), que iniciou uma onda de manifestações no Brasil em junho de 2013, convocou pela rede social Facebook um novo protesto contra o anúncio dos aumentos dos bilhetes do transporte público em São Paulo.

O protesto, convocado para o próximo dia 09 de janeiro, em frente ao Teatro Municipal de São Paulo (próximo da Câmara Municipal), tem hoje mais de mil participantes confirmados pela rede social na internet. No dia 05, o grupo promoverá uma aula pública contra a cobrança do transporte público, em frente à sede do governo municipal.

O MPL defende a gratuidade do transporte público e em junho de 201, iniciou protestos contra o aumento das tarifas. As manifestações chamaram a atenção pessoas com interesses diversos, desde melhorias na educação, na saúde e contrárias à realização do Mundial2014, e chegaram a reunir dois milhões de participantes em diferentes cidades pelo país.

Na cidade de São Paulo, o presidente da Câmara anunciou nesta sexta-feira que os bilhetes de autocarros subirão em 2015 de 03 reais (0,92 euros) para 3,50 reais (1,07 euros).

Devido às manifestações de 2013 e ao diálogo ocorrido desde então, os estudantes de escolas públicas ou beneficiados por programas de quotas (raciais ou sociais) e bolsas de estudo não pagarão no serviço de autocarros municipais.

Já os estudantes de escolas privadas e de universidades, que não são beneficiários de quotas, continuarão a pagar meia tarifa. Não haverá aumento de tarifa para quem optar pelo Bilhete Único mensal, semanal ou diário (que dá direito ao transporte em um mês, semana ou dia, independentemente do número de viagens).

O governo do Estado de São Paulo, responsável pelos comboios, pelo metro e por autocarros intermunicipais, anunciou que a tarifa irá subir em 2015, sem anunciar o valor.

Segundo o Movimento Passe Livre, os direitos concedidos aos estudantes na cidade de São Paulo são uma “conquista da luta do povo”, mas que ainda está longe do que é fundamental.

“Enquanto o transporte continuar sendo tratado como mercadoria e enquanto houver tarifa e aumentos, haverá luta da população, se organizando e resistindo em cada canto da cidade”, afirma o MPL na sua página no Facebook.

OJE/Lusa

Recomendadas

Japão, EUA e NATO condenam disparo de míssil norte-coreano

Estados Unidos, Japão e NATO condenaram hoje o disparo pela Coreia do Norte de um míssil balístico sobre o Japão, comprometendo-se a coordenar uma resposta multilateral à provocação do regime do presidente Kim Jong-un.

Filhos de José Eduardo dos Santos não vão contestar arquivamento do processo

Os filhos do ex-Presidente de Angola não vão contestar o arquivamento, pela justiça espanhola, da investigação sobre a morte do pai, disseram hoje à Lusa os advogados que os representam.

Cabo-verdianos “exaustos” de sacrifícios e à espera de “boas novas” no Orçamento

O presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), Rui Semedo, avisou hoje o Governo que os cabo-verdianos estão “exaustos” de sacrifícios e que esperam “boas novas” da proposta de Orçamento do Estado para 2023.