MPT-Madeira diz que há condições para aumentar o salário mínimo na região para 750 euros

“Com esta medida combater-se-iam estes três (maus) indicadores, melhorar-se-iam as condições de vida das populações, promover-se-ia a inclusão social e combate à pobreza e promover-se-ia o acesso à habitação”, justifica Valter Rodrigues.

O MPT – Partido da Terra (MPT) considera que a Região Autónoma da Madeira reúne as condições necessárias para aumentar o salário mínimo para 750 euros por mês, bem como aumentar o subsídio de alimentação em mais um euro.

Tal consideração advém do aumento do salário mínimo na região para 722 euros, decidido pela Comissão Permanente da Concertação Social da Região Autónoma da Madeira.

O coordenador do MPT-Madeira, Valter Rodrigues, lembra o facto de a região autónoma ter perdido cerca de 6,4% da sua população nos últimos dez anos, ter uma baixa natalidade face ao número de mortes e o facto de registar a maior taxa de risco de pobreza do país para justificar este aumento no salário mínimo para 750 euros.

“Com esta medida combater-se-iam estes três (maus) indicadores, melhorar-se-iam as condições de vida das populações, promover-se-ia a inclusão social e combate à pobreza e promover-se-ia o acesso à habitação”, justifica Valter Rodrigues.

O MPT prevê também que um aumento mais significativo no salário mínimo levará a que mais pessoas regressem ao trabalho, para assim se combater a falta de trabalhadores em sectores essenciais da economia regional.

Recomendadas

PSD/Açores disponível para novo modelo de financiamento dos bombeiros

O deputado regional social-democrata Luís Soares considerou necessário “saber como funcionam os mecanismos de acesso aos fundos comunitários, mantendo uma porta direta pelos bombeiros, em vez das candidaturas serem elegíveis somente através das câmaras municipais”.

Madeira: Vacinação contra a Covid-19 passa a ser sazonal e decorre em simultâneo com a vacinação contra a gripe

Estas duas vacinas sazonais, contra a gripe e contra a Covid-19, podem ser administradas no mesmo momento, “sendo consensual que a vacinação é segura e igualmente eficaz”, indica a  Direção Regional de Saúde.
Comentários