Mulheres gestoras melhoraram o Vaticano mais do que homens, diz Papa Francisco

“Uma sociedade que não é capaz de (permitir que as mulheres tenham papéis maiores) não avança”, afirmou Francisco a bordo do avião papal. O sumo pontífice foi questionado sobre as mulheres na vanguarda dos protestos no Irão, mas não respondeu diretamente, virando a pergunta para o papel das mulheres em geral.

O Papa Francisco disse este domingo que as mulheres que nomeou no Vaticano provaram que podem ser melhores gestoras do que os homens e que havia muito machismo na Igreja Católica e na sociedade em geral, segundo a “Reuters”, que esteve a bordo do avião papal.

“Percebi que toda vez que uma mulher recebe um cargo (de responsabilidade) no Vaticano, as coisas melhoram”, disse.

Francisco foi questionado sobre as mulheres na vanguarda dos protestos no Irão, mas não respondeu diretamente, virando a pergunta para o papel das mulheres em geral.

Falando de mulheres que ele nomeou para cargos gerenciais, ele mencionou Raffaella Petrini, vice-governadora da Cidade do Vaticano desde o ano passado. A mulher mais poderosa do Vaticano tem à sua responsabilidade cerca de dois mil funcionários.

O Papa também citou o impacto de cinco mulheres que ele nomeou para um departamento que supervisiona as finanças do Vaticano. Para além destas, Francisco nomeou mulheres para os cargos de vice-ministra dos Negócios Estrangeiros, diretora dos Museus do Vaticano, vice-diretora da Sala de Imprensa do Vaticano, bem como quatro mulheres como conselheiras do Sínodo dos Bispos, que prepara grandes reuniões.

“Esta é uma revolução porque as mulheres sabem como encontrar o caminho certo para seguir em frente”, disse.

Francisco condenou o chauvinismo masculino, reconhecendo que ainda havia muito dele em todo o mundo, inclusive na Argentina, de onde é natural.

“Uma sociedade que não é capaz de (permitir que as mulheres tenham papéis maiores) não avança”, atirou.

Recomendadas

Empresa espanhola de armamento recebeu carta semelhante à que explodiu na embaixada da Ucrânia

Uma empresa espanhola de armamento recebeu um envelope similar ao que foi enviado para a embaixada da Ucrânia em Madrid e que explodiu.

Cimeira da NATO: o Ártico é a próxima fronteira

A entrada da Suécia e da Finlândia na NATO, um dos temas centrais da agenda da cimeira da Roménia, transforma o Ártico numa nova zona de conflito potencial. A Rússia lembrou esse perigo, que Jens Stoltenberg conhece bem.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários