Mulheres sauditas também vão poder guiar motas e camiões a partir de junho

“O grande desafio é agora adaptar as escolas de condução a todas as mulheres que querem aprender”, afirmaram as autoridades da Arábia Saudita.

As mulheres sauditas também vão poder conduzir motas e camiões a partir de junho de 2018, anunciou a direção-geral de circulação saudita, quase três meses depois de uma ordem real ter levantado a proibição de condução das mulheres.

“O grande desafio é agora adaptar as escolas de condução a todas as mulheres que querem aprender”, afirmaram as autoridades da Arábia Saudita, precisando que “estão preparadas” para quando for levantado o veto.

A direção referiu também que as idades mínimas para as mulheres conduzirem motas e camiões são 18 e 20 anos, respetivamente.

A decisão real de setembro último, não só respondeu a anos de mobilização e luta de ativistas pelos direitos das mulheres, como também a motivos mais práticos e económicos, já que assim as mulheres já não têm de contratar um condutor privado ou depender de um familiar do sexo masculino para as acompanhar nas deslocações.

A possibilidade de conduzir abre também novas oportunidades laborais, apesar da discriminação impedir as mulheres de aceder a muitos setores ou postos de trabalho no reino ultraconservador.

Relacionadas

Arábia Saudita permite a entrada de mulheres acompanhadas em três estádios a partir de 2018

O reino ultraconservador construirá três estádios com zonas específicas para que mulheres acompanhadas pelos seus maridos possam assistir aos jogos, algo que até agora era proibido.

Arábia Saudita: Mulheres ‘ao volante’ vão fomentar economia

Alteração poderá ter também impacto económico em outras áreas, como o incremento na venda de automóveis.

Mulheres da Arábia da Saudita vão poder conduzir em 2018

O embaixador saudita em Washington, o Príncipe Khaled bin Salman, confirmou que as mulheres não terão que obter permissão masculina para ter aulas de condução e vão ser livres de conduzirem em que lugares quiserem. António Guterres aplaudiu o novo decreto saudita.
Recomendadas

Premium“Para quem não tenha notado, a Rússia vai ficar ali” e a segurança da Europa passa por lá

As palavras do presidente francês cairam mal na invadida Ucrânia e nos longínquos EUA. Entretanto, ninguém sabe quais serão as consequências da decisão sobre petróleo russo.

PremiumPaíses ocidentais com fortes reservas face à coligação em Israel

A colocação de um extremista, racista e adepto da violência na direção do ministério que trata da segurança interna do país é considerado um desastre em potencial. A não ser que Netanyahu queira fazer com Itamar Ben-Gvir o mesmo que fez há uns anos com Ben Gantz.

Ucrânia. Putin diz não saber se poderá confiar num eventual acordo de paz com Kiev

O Presidente russo, Vladimir Putin, defendeu hoje que será necessário um acordo “no final” do conflito na Ucrânia, mas disse ter dúvidas sobre a confiança que Moscovo poderá depositar nos seus interlocutores.
Comentários