Multas para quem não respeita atendimento prioritário a partir de hoje

Nova lei sobre prioridade a idosos, grávidas e deficientes entra em vigor para os privados e prevê coimas que podem ir até mil euros.

As empresas do setor privado que prestem atendimento ao público ficam obrigadas, a partir desta terça-feira, a dar prioridade no atendimento a pessoas com deficiência ou incapacidade, pessoas idosas, grávidas ou acompanhadas de crianças de colo. As empresas que não cumprirem estão sujeitas as coimas que podem ir até mil euros.

Até agora, esta obrigatoriedade apenas abrangia as entidades do setor público.

Segundo um comunicado do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, apesar das “boas práticas” adotadas no setor privado, “o facto de a obrigatoriedade do atendimento prioritário ser circunscrita ao setor público administrativo determinava, na maioria das vezes, atuações arbitrárias traduzindo uma completa desproteção das cidadãs e dos cidadãos com necessidades de atendimento prioritário, situação que se pretende corrigir” com o decreto-lei n.º 58/2016, de 29 de agosto, que entra amanhã em vigor.

O Ministério disponibiliza um documento com perguntas e respostas sobre a nova lei:

Quem está obrigado a prestar atendimento prioritário?

Todas as pessoas, públicas e privadas, singulares e coletivas que prestem atendimento presencial ao público.

Quem está excluído da obrigação de prestar atendimento prioritário?

As entidades prestadoras de cuidados de saúde quando o acesso à prestação de cuidados de saúde deva ser fixada em função da avaliação clínica a realizar. As conservatórias e outras entidades de registo, apenas e só, quando a alteração da ordem de atendimento coloque em causa a atribuição de um direito ou uma posição de vantagem decorrente da prioridade do registo.

Existe alguma exceção à aplicação do decreto-lei?

Sim, o decreto-lei não se aplica às situações de atendimento presencial ao público realizado através de serviços de marcação prévia.

A quem é obrigatório prestar atendimento prioritário?

Pessoas com deficiência ou incapacidade, pessoas idosas com idade igual ou superior a 65 anos e que apresentem evidente alteração ou limitação das funções físicas ou mentais; grávidas; pessoas acompanhadas de crianças de colo

Quem são consideradas “pessoas com deficiência ou incapacidade”?

Aquelas que, por motivo de perda ou anomalia, congénita ou adquirida, de funções ou de estruturas do corpo, incluindo as funções psicológicas, apresentem dificuldades específicas suscetíveis de, em conjugação com os fatores do meio, lhes limitarem ou dificultarem a atividade e a participação em condições de igualdade com as demais pessoas e que possuam um grau de incapacidade igual ou superior a 60% reconhecido em Atestado Multiuso.

Quem é considerado idoso para os efeitos do decreto-lei?

A pessoa que tenha idade igual ou superior a 65 anos e apresente evidente alteração ou limitação das funções físicas ou mentais reconhecidas em Atestado Multiuso.

Quem se considera pessoa acompanhada de criança de colo?

Aquela que se faça acompanhar de criança até aos dois anos de idade.

Se estiverem para serem atendidas várias pessoas com direito de atendimento prioritário como se procede?

O atendimento faz-se por ordem de chegada.

Como devo proceder quando me for recusado o atendimento prioritário devido?

Devo apresentar uma queixa por escrito junto do Instituto Nacional para a Reabilitação I. P. (INR, I. P.) ou; da inspeção-geral, entidade reguladora, ou outra entidade a cujas competências inspetivas ou sancionatórias se encontre sujeita a entidade que praticou a infração. Por exemplo, tratando-se de um estabelecimentos de restauração e bebidas, poderá apresentar queixa junto da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

Que penalizações estão previstas para quem incumprir o dever de prestar atendimento prioritário?

Estão previstas coimas cujos valores variam entre 50 a 500 euros ou de 100 euros a 1.000 euros, consoante a entidade infratora seja pessoa singular ou coletiva. A receita das coimas reverte em 60% para o Estado; 30% para a entidade administrativa que faz a instrução do processo administrativo e 10% para o Instituto Nacional de Reabilitação.

Onde posso solicitar esclarecimentos sobre a nova lei do Atendimento Prioritário?

Poderá obter esclarecimentos sobre a interpretação e/ou aplicação deste decreto-lei junto do Instituto Nacional para a Reabilitação, através dos seguintes contatos: para o telefone 217929500/215952770 ou por email (balcaodainclusao@inr.mtsss.pt).

Relacionadas

Atendimento prioritário a grávidas, idosos e deficientes passa a ser obrigatório no privado

Nova lei entra em vigor amanhã e prevê coimas que podem ir até mil euros.

Novas regras: Grávidas e idosos podem passar à frente nas filas

A legislação que define as novas regras do atendimento prioritário entra em vigor dois dias depois do Natal e aplica-se aos serviços públicos e privados.

Empresas obrigadas a dar horário flexível a mães e pais

Quase 90% dos pareceres da Comissão para a Igualdade no Trabalho são favoráveis ao trabalhador.
Recomendadas

Ocean Winds garante direitos exclusivos para desenvolver projeto eólico offshore flutuante até 2 GW na Califórnia

A Ocean Winds – um consórcio da EDPR e da francesa Engie – e o Canada Pension Plan Investment Board vão desenvolver um projeto eólico offshore ao largo da costa central da Califórnia, comunicou esta manhã a EDP à CMVM. Em causa está uma licença com direitos de gestão de 32,5 mil hectares naquela área.

EDP conclui venda da central hidroeléctrica de Mascarenhas no Brasil

Com esta transação, a EDP reduz o peso da geração convencional e, nomeadamente, da exposição hídrica no Brasil, em linha com o plano estratégico 2021-2025 apresentado ao mercado em fevereiro de 2021.

Fitch Rating antecipa ano desastroso para o sector imobiliário

Os países que preferiram as taxas variáveis e permitiram um forte aumento do preço das casas estão especialmente vulneráveis à inflação e à queda da procura. Portugal não faz parte do estudo, mas tem tudo para fazer parte do pior cenário.
Comentários