Mundial de futebol. Portugal tem uma “armada” de 772 milhões de euros para chegar ao Qatar

Para aqueles que poderão ser os últimos jogos de Fernando Santos, o selecionador leva uma “armada” avaliada em 771,5 milhões pelo site “Transfermarkt”. Se o lado direito da defesa vale 77 milhões, já os três centrais convocados estão avaliados apenas em 20 milhões de euros no seu conjunto.

5 – Cristiano Ronaldo (45 milhões de euros)

O selecionador nacional Fernando Santos convocou 25 jogadores para o playoff, a última oportunidade para que Portugal marque presença no Mundial do Qatar, que se realiza entre 21 de novembro e 18 de dezembro deste ano.

Para que esse apuramento seja uma realidade, Portugal terá que derrotar a Turquia no Estádio do Dragão na próxima quinta-feira, 24 de março e de ganhar o segundo e decisivo jogo frente ao adversário que sair da partida entre Itália e Macedónia.

Para aqueles que poderão ser os últimos jogos de Fernando Santos (contratado em setembro de 2014 e campeão da Europa em julho de 2016 e vencedor da Liga das Nações em junho de 2019), o selecionador leva uma “armada” avaliada em 771,5 milhões de euros pelo site “Transfermarkt”.

Defesa é o setor menos valioso

Na baliza, Diogo Costa (FC Porto) é o guarda-redes português mais valioso da atualidade: 16 milhões de euros. Mesmo assim, essa avaliação não deverá ser suficiente para roubar a titularidade a Rui Patrício (AS Roma, 8 milhões), o guardião menos valioso dos três chamados por Fernando Santos. Anthony Lopes (Lyon, 12 milhões) deverá também ficar no banco frente à Turquia. A defesa está avaliada em 172 milhões e fora a baliza, é o setor mais modesto em termos de avaliação. Só para o lado direito da defesa, Santos leva 77 milhões de euros em jogadores: Cédric Soares (Arsenal, 5 milhões), Diogo Dalot (Manchester United, 12 milhões) e João Cancelo (Manchester City (60 milhões). O centro da defesa será ocupado por três jogadores mas o trio perfaz apenas um total de 20 milhões: Gonçalo Inácio (Sporting CP, 18 milhões), José Fonte (Lille, 1 milhão) e Pepe (FC Porto, 1 milhão). Para o lado esquerdo da defesa, Nuno Mendes (Paris Saint-Germain, 40 milhões) e Raphael Guerreiro (Borussia Dortmund, 35 milhões) são as opções do selecionador.

Meio-campo com melhor avaliação

O setor intermédio é o que apresenta a melhor avaliação dos três setores de campo: 290,5 milhões de euros. Bruno Fernandes (Manchester United, 90 milhões) continua a ser o jogador mais valioso da Seleção de acordo com o site “Transfermarkt” mas está bem acompanhado por outros futebolistas de grande qualidade no suporte ao ataque como João Moutinho (Wolverhampton, 2,5 milhões), Otávio (FC Porto, 25 milhões), Matheus Nunes (Sporting CP, 30 milhões) e o mágico de Pep Guardiola, Bernardo Silva (Manchester City, 75 milhões). No meio-campo defensivo, Santos terá ao seu dispor Rúben Neves (Wolverhampton, 40 milhões), Danilo (Paris Saint-Germain, 14 milhões) e William Carvalho (Bétis, 14 milhões).

Um ataque de luxo

Fernando Santos deposita em seis atacantes a esperança de que a Seleção marque golos, pelo menos frente à Turquia. João Félix (Atlético de Madrid, 60 milhões) e Diogo Jota (Liverpool, 60 milhões) são os mais valiosos, seguidos de muito perto pelo avançado português em melhor forma da atualidade: Rafael Leão (AC Milan, 50 milhões). Gonçalo Guedes (Valência, 30 milhões), André Silva (RB Leipzig, 38 milhões) e o inevitável Cristiano Ronaldo (Manchester United, 35 milhões) fecham a lista de avançados.

Recomendadas

Mundial. Marrocos elimina Espanha e pode defrontar Portugal nos quartos

Marrocos qualificou-se hoje para os quartos de final do Mundial de futebol de 2022, ao vencer a Espanha por 3-0, no desempate por penáltis, no sétimo encontro dos ‘oitavos’, em Doha, marcando encontro com o vencedor do Portugal-Suíça.

Renato Paiva é o novo treinador do ‘promovido’ Bahia

O português Renato Paiva é o novo treinador do Bahia, assumindo a equipa no regresso à Série A brasileira de futebol e dias depois de a SAD do clube ser adquirida pelo Grupo City.

Liga Portuguesa é “exemplo internacional” no combate à corrupção, diz Pedro Proença

O Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional considerou que a Liga portuguesa tem vindo a “consolidar” um “caminho de rigor, transparência e credibilidade”.
Comentários