Musk em risco de deixar de ser o mais rico do mundo depois de valor da Tesla cair quase para metade

O francês Bernard Arnault, CEO do grupo de luxo LVMH está agora no seu encalço. As ações da Tesla eram negociadas a 340,79 dólares a 13 de abril, um dia antes de o Twitter revelar que o multimilionário havia feito uma oferta hostil para comprar a empresa quase 44 mil milhões. Desde então, o preço das ações da Tesla caiu 49% para 173,44 dólares.

Rebecca Cook / Reuters

Elon Musk pode deixar de ser a pessoa mais rica do mundo depois de as ações da Tesla caírem quase para metade desde que o seu fundador fez uma oferta pelo Twitter em abril, reduzindo o seu património líquido em cerca de 70 mil milhões de dólares, avança o “The Guardian”.

As ações da empresa de carros elétricos eram negociadas a 340,79 dólares a 13 de abril, um dia antes de o Twitter revelar  que o multimilionário havia feito uma oferta hostil para comprar a empresa quase 44 mil milhões. Desde então, o preço das ações da Tesla caiu 49% para 173,44 dólares , também devido a preocupações com interrupções numa das suas fábricas em Xangai.

Para financiar a compra do Twitter, Musk vendeu 20 mil milhões em ações da Tesla desde abril e possui agora possui 445 milhões de ações, segundo a “Reuters”, e a queda no preço das ações reduziu o valor dessa participação de 151 mil milhões para 77 mil milhões.

Em novembro, já se especulava que os investidores da Tesla não viam com bons olhos o facto de Musk passar agora 24 horas do seu dia a pensar no Twitter. Além de ser CEO da Tesla e do Twitter, o empresário também gere a SpaceX, a Boring Company e a Neuralink — que está constantemente a falhar prazos. E assumiu em público que tem “muito trabalho” entre mãos.

O francês Bernard Arnault, CEO do grupo de luxo LVMH está agora no seu encalço e, esta quarta-feira, os movimentos levaram-no a ocupar brevemente o primeiro lugar na lista do mais rico do mundo.

Recomendadas

Exclusivo: Bónus milionário da CEO da TAP não é válido

O contrato assinado entre a TAP e a gestora francesa Christine Ourmières-Widener prevê um bónus que pode chegar a três milhões de euros no prazo de cinco anos, revela o documento, a que o Jornal Económico teve acesso. No entanto, o contrato não será válido, uma vez que uma das suas cláusulas prevêem que teria de ser aprovado pela Assembleia Geral da TAP SGPS, algo que nunca chegou a acontecer.

Pampilhosa da Serra assina novo contrato para assegurar transporte de passageiros

O município da Pampilhosa da Serra, no interior do distrito de Coimbra, vai pagar mensalmente mais de 15 mil euros a uma empresa para assegurar o serviço de transporte público de passageiros nas linhas que funcionam atualmente.

Martifer com contrato de 68 milhões para fazer viadutos ferroviários em Birmingham

“O fabrico da estrutura metálica será realizado maioritariamente no pólo industrial do grupo Martifer, em Oliveira de Frades, permitindo reforçar a vertente exportadora do grupo Martifer, que atualmente representa mais de 85 % do volume de negócios do segmento de estrutura metálica em Portugal”, refere a empresa.
Comentários