Nahibu: “Ler” o intestino para melhorar a alimentação

A startup francesa Nahibu desenvolveu um teste doméstico de análise à microbiota com o objetivo de formular recomendações alimentares personalizadas.

A ciência já comprovou: a nossa saúde, tanto física como mental, está fortemente ligada à composição da microbiota intestinal. Ou seja, dos microorganismos presentes no intestino. A Nahibu tem precisamente como missão descodificar o intestino e, assim, ajudar a preservar melhor a nossa saúde. Fundada em 2019, por Pierre Cressard, esta startup francesa desenvolveu um teste doméstico de análise à microbiota para depois poder formular recomendações alimentares personalizadas.  

O processo é simples: basta encomendar o kit online e fazer a recolha de uma amostra de fezes em casa (kit inclui frasco, luvas e um utensílio para recolha da amostra, bolsa de transporte da amostra e um envelope) que é, posteriormente, enviada para o laboratório de análise. O teste é feito com base na análise do ADN das bactérias presentes na amostra enviada. 

Entre 4 a 6 semanas depois, os resultados são apresentados online, através de percentagens e de gráficos fáceis de interpretar, com indicadores de saúde geral, nutricionais e de desempenho físico.

Com base nos resultados, a Nahibu dá a opção de receber recomendações alimentares personalizadas, incluindo probióticos e suplementos adaptados às necessidades de cada pessoa. O objetivo é ajudar a melhorar a imunidade, a digestão, o desempenho físico e o bem-estar mental. 

O kit de teste custa 199 euros. Adicionalmente, a Nahibu disponibiliza ainda dois planos: um com recomendações de nutrição personalizadas (219 euros) e o outro com teleconsulta com um especialista (269 euros).

Artigo original publicado em SuperToast by INSTINCT.
Também disponível em Newsletter e Podcast.

Recomendadas

Exclusivo: Bónus milionário da CEO da TAP não é válido

O contrato assinado entre a TAP e a gestora francesa Christine Ourmières-Widener prevê um bónus que pode chegar a três milhões de euros no prazo de cinco anos, revela o documento, a que o Jornal Económico teve acesso. No entanto, o contrato não será válido, uma vez que uma das suas cláusulas prevêem que teria de ser aprovado pela Assembleia Geral da TAP SGPS, algo que nunca chegou a acontecer.

Pampilhosa da Serra assina novo contrato para assegurar transporte de passageiros

O município da Pampilhosa da Serra, no interior do distrito de Coimbra, vai pagar mensalmente mais de 15 mil euros a uma empresa para assegurar o serviço de transporte público de passageiros nas linhas que funcionam atualmente.

Martifer com contrato de 68 milhões para fazer viadutos ferroviários em Birmingham

“O fabrico da estrutura metálica será realizado maioritariamente no pólo industrial do grupo Martifer, em Oliveira de Frades, permitindo reforçar a vertente exportadora do grupo Martifer, que atualmente representa mais de 85 % do volume de negócios do segmento de estrutura metálica em Portugal”, refere a empresa.
Comentários