“Não assumam que Putin não atacará outros países”, diz Olaf Scholz

O chanceler alemão defendeu esta terça-feira que ninguém pode garantir que a Rússia não vai atacar outros países, uma vez que o Kremlin já violou as leis do direito internacional ao invadir a Ucrânia, quebrando a ordem pós-Segunda Guerra Mundial.

O chanceler alemão defendeu esta terça-feira que ninguém pode garantir que a Rússia não vai atacar outros países, uma vez que o Kremlin já violou as leis do direito internacional ao invadir a Ucrânia, quebrando a ordem pós-Segunda Guerra Mundial.

“Ninguém pode assumir que o presidente e o governo russos não violarão o direito internacional noutras ocasiões com violência”, disse Olaf Scholz numa declaração aos meios de comunicação social na presença dos primeiros-ministros da Suécia e da Finlândia, Magdalena Andersson e Sanna Marin, respetivamente, no início de uma reunião de dois dias em Schloss Meseberg, a norte de Berlim, para discutir a segurança da Europa.

O governante recordou que a agressão russa no país vizinho está a forçar a Europa a reforçar a sua estratégia de defesa.

Scholz reiterou ainda que a Alemanha vai apoiar a Finlândia e a Suécia se estes países decidirem aderir à NATO, como se espera que venha a acontecer.

Desde a invasão russa da Ucrânia, em 24 de fevereiro deste ano, que a Finlândia e a Suécia têm vindo a considerar a possibilidade de se candidatarem à adesão da Aliança Atlântica, o que representaria uma importante mudança política para a região nórdica.

Numa entrevista à revista “Stern”, Scholz afirmou que considera a política de Vladimir Putin imperialista.

“Ele está a tentar desesperadamente restabelecer o antigo significado da Rússia num mundo que mudou”, comentou o governante alemão.

Recomendadas

OE2022: Aprovada proposta do PSD que altera regras para contratação de estrangeiros

O Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) suspende a “fixação do contingente global para efeitos de concessão de visto de autorização de residência para exercício de atividade profissional subordinada”.

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.

Covid-19. Atual vaga provoca 30 milhões de horas de trabalho perdidas

A atual vaga de infeções pelo SARS-CoV-2, que deve atingir o pico na primeira quinzena de junho, vai provocar cerca de 30 milhões de horas de trabalho perdidas, prevê um relatório do Instituto Superior Técnico sobre a pandemia.
Comentários