“Não temos feito o suficiente”. Zuckerberg admite falhas na gestão do Facebook ao Parlamento Europeu

Mark Zuckerberg garantiu que se está a esforçar em tornar as publicações do Facebook mais transparentes e seguras e sublinhou que a prioridade é ajudar a aproximar mais as pessoas.

Yves Herman/Reuters

O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, admitiu esta terça-feira ao Parlamento Europeu que a empresa tem falhado em dar resposta ao mau uso das ferramentas da rede social. Mark Zuckerberg garantiu que se está a esforçar em tornar as publicações do Facebook mais transparentes e seguras e sublinhou que a prioridade é ajudar a aproximar mais as pessoas.

“Reconheço que não temos feito o suficiente para garantir que o Facebook não seja utilizado para maus fins. Peço desculpa por isso”, afirmou Mark Zuckerberg aos representantes no Parlamento Europeu. “A prioridade [do Facebook] é ajudar a aproximar mais as pessoas em todo o mundo. Mas não temos feito o suficiente”, acrescentou.

Depois de ter sido revelado o escândalo de acesso a dados pessoais de 50 milhões de perfis do Facebook pela consultora Cambridge Analytica, Mark Zuckerberg assegura que nos últimos meses a rede social se tem empenhado em melhorar os seus serviços. “Estamos a fazer tornar as nossas publicações mais transparentes e já se pode saber quem é o responsável pelos anúncios que aparecem no feed“.

Ainda assim, o fundador do Facebook sublinha que a segurança “não é um problema que se pode resolver”. “Temos adversários que estão a melhorar-se a si mesmos constantemente, mas queremos garantir que estaremos um passo à frente deles”, assegurou.

Relacionadas

Que explicações vai dar Zuckerberg no Parlamento Europeu? Acompanhe aqui em direto

Fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, vai ser ouvido esta tarde na Conferência dos Presidentes do Parlamento Europeu, constituída pelo presidente da instituição, Antonio Tajani, e pelos líderes dos grupos políticos. Acompanhe aqui em direto.

“Facebook vai compensar os consumidores que enganou?”. Deco tem quatro perguntas para Mark Zuckerberg

“O Facebook está a fugir às suas responsabilidades no caso Cambridge Analytica, mas as nossas exigências são claras – a empresa tem de compensar os consumidores afetados e assumir compromissos claros quanto às práticas futuras”, defendeu a Deco.
Recomendadas

EDP procura startups mais inovadoras na área da energia

Elétrica lança a 7ª edição do Free Electrons em busca de startups inovadoras. Candidaturas decorrem até 28 de janeiro.

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.

Mercado automóvel cresce 1,8% entre janeiro e novembro, mas muito longe dos números pré-pandemia

Dados da ACAP revelam que em termos globais, o mercado automóvel regista um crescimento de 1,8% entre janeiro a novembro de 2022, face a igual período do ano anterior. De referir que 11,1% dos veículos ligeiros de passageiros novos são elétricos (BEV).
Comentários