Nasdaq ultrapassa os 7.000 pontos em dia feliz para Wall Street

Senado dos EUA vai votar a reforma nos impostos esta terça-feira e a expetativa é que o presidente Donald Trump assine a legislação antes do fim de semana.

Reuters

A semana começou positiva para os principais índices acionistas nos Estados Unidos, que continuam a ser impulsionados pela nova lei fiscal. Este domingo, vários Republicanos disseram esperar que o Congresso aprove a proposta de lei esta semana, o Senado vai votar a reforma nos impostos esta terça-feira e a expetativa é que o presidente Donald Trump assine a legislação antes do fim de semana.

“Este Congresso tem mostrado uma grande incapacidade de aprovar o que quer que seja nos últimos anos. Se uma legislação massiva é aprovada, é expectável que os mercados estejam felizes”, afirmou o estrategista chefe de mercados da JonesTrading, Michael O’Rourke, à agência Reuters.

As ações nos EUA têm vivido um momento favorável desde o início do ano, com os índices S&P 500 e Dow Jones a caminharem para o melhor ano desde 2013.

Esta segunda-feira, o destaque esteve, no entanto, no índice tecnológico Nasdaq, que ultrapassou os 7.000 pontos pela primeira vez, às 17h50 (hora de Lisboa), tendo fechado a subir 0,84% para 6.994,76 pontos. O industrial Dow Jones ganhou 0,57% para 24.792,20 pontos e o financeiro S&P 500 avançou 0,54% para 2.690,16 pontos.

A tendência positiva nas ações deverá continuar até porque a reforma fiscal propõe um corte nos impostos para 21% dos anteriores 35%, que os investidores esperam resulte numa subida dos lucros e, consequentemente, dos dividendos pagos aos acionistas. Outro resultado esperado é a repatriação de capital, que os analistas indicam poderá incentivar fusões e aquisições.

No mercado cambial, o dólar segue esta segunda-feira a desvalorizar face às pares europeia, britânica e japonesa. A moeda norte-americana deprecia-se 0,26% para 0,848 euros, 0,47% para 0,747 libras e 0,03% para 112,570 ienes. Na dívida pública, os juros das Treasuries a 10 anos sobem para 2,39%.

Relacionadas

Mais uma conquista para Buffett: uma ação da Berkshire já vale 300 mil dólares

Warren Buffett lidera a Bershire desde 1965, altura em que era uma pequena empresa têxtil com ações a valerem 11 dólares. A mesma ação valorizou 2.400.000% desde então.

Índice Nasdaq ultrapassa pela primeira vez os 7.000 pontos

O índice Nasdaq ultrapassou hoje pela primeira vez os 7.000 pontos, a meio da sessão da bolsa de Nova Iorque e no final de um ano marcado por subidas.

Wall Street abre semana da reforma fiscal com Dow Jones imparável

O Dow Jones está a subir 0,80% na abertura para 24.848,91 pontos, e a caminhar a passos largos para os 25.000 pontos. Já o Nasdaq 100 sobe 0,82% para 6.993,45 pontos e já roça os 7.000 pontos. O impulso que a reforma tributária dará à economia dos EUA é motivo suficiente para que os mercados continuem a subir no curto prazo.

Praças europeias seguem em alta à espera da aprovação do plano fiscal de Trump no Senado

O principal índice português, PSI 20, negoceia a somar 0,57% para 5.416,49 pontos, impulsionado pelas valorizações da Pharol, CTT e BCP.

CTT e Semapa animam bolsa de Lisboa, Europa veste-se de verde

Petróleo ajuda empresas energéticas. Os CTT que vendem a sua sede por 25 milhões e já não estão em risco de voltar para as mãos do Estado, continuam a escalar e a liderar as subidas no PSI 20. Europa fecha no verde.
Recomendadas

BCP cai 5% e arrasta Bolsa de Lisboa para terreno negativo numa Europa mista

“O índice nacional esteve pressionado pela queda de 5% do BCP, numa sessão onde o setor Bancário demonstrou a pior performance na Europa”, escreveu o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro, na sua análise de fecho de mercados.

CMVM publica cinco decisões de contraordenação, incluindo a coima de 75 mil euros à Orey Antunes

Na base das decisões da CMVM estão três processos por violação de deveres de atuação dos auditores. O processo contra a Orey Antunes por não ter divulgado os documentos de prestação de contas anuais e um processo por violação de deveres dos intermediários financeiros.

Wall Street abre a terceira sessão da semana com perdas ligeiras

A Lyft, concorrente da Uber, é um dos títulos em destaque, depois de anunciar que congelou todas as contratações nos Estados Unidos até ao final do ano, no âmbito de um corte de custos para controlar o impacto da inflação. As ações da plataforma de transporte reagem pela positiva.
Comentários