Da testagem aos lugares à mesa. Que cuidados adotar para um Natal em segurança e sem Covid-19

Das regras que já vêm de outros anos aos novos cuidados a ter, saiba como passar a noite mais especial do ano em segurança, protegendo-se e protegendo aqueles que mais ama. 

O país segue para o segundo Natal marcado pelos constrangimentos da pandemia e pelas regras para se manter a si e à sua família em segurança. Das regras que já vêm de outros anos aos novos cuidados a ter, saiba como passar a noite mais especial do ano em segurança, protegendo-se e protegendo aqueles que mais ama.

Um Natal em segurança

Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, explica ao JE, como podemos tornar a noite de Natal numa celebração em segurança: “Tendencialmente nas festas juntamos a família, juntamos também os amigos, e portanto devemos tentar reduzir a dimensão desses ajuntamentos”, começou por realçar este especialista.

Segundo este especialista, é preciso não esquecer “uma boa higiene das mãos” e “assegurar uma boa ventilação dos espaços”, bem como “dentro do possível assegurar algum distanciamento”. E na hora de distribuir os lugares à mesa, uma regra muito importante: “Manter a distribuição à mesa que respeite aquilo que são os agregados familiares; as pessoas que tipicamente coabitam manterem-se juntas para reduzirmos também o potencial de transmissão entre agregados”, recomendou Ricardo Mexia.

Testagem é fundamental

Ricardo Mexia deixa ainda mais uma dica para juntar-se às restantes medidas de segurança: a realização de testes contra a covid-19. “Adotar uma estratégia de testagem mais ou menos abrangente, é importante que haja essa preocupação também”.

“Portanto assegurar que essa testagem é feita se formos estar com pessoas doentes, pessoas de maior idade. É absolutamente fundamental”, assegurou o médico.

Janelas e portas abertas

Outro conselho importante que pode fazer toda a diferença na noite de Natal: a página da CUF aconselha a que, sempre que possível, “promova a ventilação e circulação do ar dos espaços onde se encontra reunido com a sua família”. Pode, por exemplo, manter as janelas e portas abertas”.

“Optar por locais mais amplos, que permitam manter o distanciamento de 2 metros, é também uma medida que, se possível, deve adotar para reduzir o risco de transmissão”, diz a CUF, acrescentando que “o ideal é que as celebrações e encontros se façam no exterior, caso o estado do tempo assim o permita”. E não se esqueça: quando se for reunir com a sua família não se esqueça da desinfeção das superfícies e objetos partilhados.

A CUF alerta também para o “cantar ou gritar, especialmente dentro de casa”. Assim, deverá manter “o volume da música baixo para que as pessoas não tenham de falar alto para se fazerem ouvir”.

Limite o tempo de duração dos encontros

A par do distanciamento e promoção de ventilação, a CUF aponta que a duração do encontro pode fazer a diferença. Quanto mais tempo durar o encontro, maior o risco de transmissão. Estar com uma pessoa infetada durante 15 minutos ou mais, de forma cumulativa, aumenta consideravelmente o risco de infeção por covid-19.

“Por isso, é importante reduzir o nosso tempo de exposição. Por exemplo, em vez de estar 3 ou 4 horas reunido com outras pessoas, tente reduzir esse tempo para 1-2 horas”, exemplifica a CUF.

Não partilhe o mesmo prato 

Degustar as iguarias de Natal é um dos pontos altos destas celebrações, mas mesmo aqui, existem pormenores que podem fazer toda a diferença. Nestas refeições natalícias, evite que cada convidado traga um prato para dividir com os restantes. Jantares tipo buffet não são de todo aconselháveis.

Além da não recomendação da partilha do prato, é necessário incentivar os convidados a trazerem a sua própria comida. “Se não for possível, nomeie uma pessoa para servir a comida aos restantes presentes, evitando que haja várias pessoas a tocar nos utensílios”, aconselha a CUF. E claro: é igualmente recomendável que se utilize a máscara durante a preparação da comida e também quando se está a servir.

Não tocar no caixote do lixo e lavar a loiça com água quente

Para celebrar o Natal em segurança é recomendável disponibilizar caixotes do lixo em que não seja preciso tocar com as mãos para depositá-lo os restos de comida. “Use luvas quando estiver a remover o lixo do caixote. Lave as mãos depois de retirar as luvas”, aconselha a CUF.

Relativamente à inevitável lavagem da loiça após as refeições, a mesma deve ser lavada na máquina de lavar loiça, sempre com possível, ou com água quente e detergente imediatamente depois do evento.

 

Recomendadas

Controlar despesas? Siga esta cinco estratégias

Organizar o orçamento familiar e analisar as despesas com maior peso mensal são dois passos essenciais para planificar a sua vida financeira. Conheça algumas estratégias e ferramentas para fazer frente à atual “avalanche” de aumento de preços e proteger a sua carteira.

Sabe se vai compensar mudar para o mercado regulado do gás? A Deco lança calculadora

Com esta calculadora, pode introduzir a quantidade de gás natural que habitualmente consome, consultando a última fatura, e indicar o número de dias a que essa fatura se refere. Basta depois copiar os dados da fatura para a calculadora e obtém, de imediato, o custo que teria em igual consumo e igual período de faturação no mercado regulado a partir de outubro.

Um senhorio pode aumentar a renda em mais de 50%? Saiba aqui

O aumento da renda da casa é uma das preocupações mais comuns e que, na verdade, resulta da subida da inflação. Mas, apesar de haver algumas exceções, dependendo de contrato para contrato, os senhorios têm de respeitar algumas regras para proceder ao aumento da renda.
Comentários