NATO: Adesão da Suécia continua sem sim da Turquia que anuncia nova reunião

O Presidente turco anunciou uma nova “reunião no final do mês em Estocolmo” com o primeiro-ministro sueco, Ulf Kristersson, que hoje lhe pediu, num encontro em Ancara, o sim da Turquia à entrada do seu país na NATO.

Recep Tayyip Erdoğan, presidente Turquia

“Esperamos ter uma conclusão mais positiva na reunião conjunta que terá lugar em Estocolmo no final do mês”, declarou o chefe de Estado turco, Recep Tayyip Erdogan, que assegurou “desejar sinceramente que a Suécia adira” à Aliança Atlântica.

“Aprovámos o processo de adesão da Suécia à NATO”, recordou Erdogan, que deu contudo a entender que a ratificação da entrada da Suécia e da Finlândia poderá só vir a ser abordada no Parlamento turco após as eleições gerais de junho, ou seja, não antes de julho de 2023.

“Há tempo até julho (para decidir sobre a admissão), temos uma eleição em junho. Temos de estar muito calmos antes destas eleições. Os nossos amigos compreenderão”, disse Erdogan numa conferência de imprensa depois do encontro com o primeiro-ministro sueco.

Ulf Kristersson reafirmou, por seu turno, que a Suécia seria “um fator de segurança para todos os aliados”.

“Compreendemos as vossas preocupações com a vossa segurança e queremos que a Suécia responda também às nossas”, insistiu o chefe de Estado turco, que desde maio tem bloqueado o alargamento da Aliança à Suécia e à Finlândia, exigindo a extradição de membros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) que Ancara e os seus aliados ocidentais consideram terroristas.

“Queremos o apoio da Suécia na luta contra o terrorismo”, declarou Erdogan.

“A palavra de ordem na Suécia é combater o terrorismo. Não pode haver dúvida sobre isso (…) Isto é levado muito, muito a sério”, replicou o chefe do novo Governo sueco.

Estocolmo, sublinhou, vê o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, o PKK, como “uma organização terrorista, assim como os Estados Unidos e a União Europeia”.

“Entendemos a sensibilidade da Turquia nesta questão”, acrescentou, prometendo “corresponder a todas as (suas) expectativas como futuro aliado”.

Todos os 30 países-membros da NATO devem ratificar oficialmente o protocolo de adesão da Finlândia e da Suécia para estes países aderirem à aliança, mas os parlamentos da Turquia e da Hungria ainda não o fizeram.

Recomendadas

Desflorestação na Amazónia cai pela primeira vez no Governo de Bolsonaro

A Amazónia brasileira perdeu 11.568 km2 de cobertura vegetal entre agosto de 2021 e julho de 2022, menos 11,3% que a devastada no ano anterior. É a primeira redução do desmatamento desde que Jair Bolsonaro chegou ao poder.

Israel: Netanyahu garante que vai manter a controlo sobre a extrema-direita

Primeiro-ministro designado insiste que os radicais com que formará governo não vão tomar o poder nas suas mãos. “Israel não será governado pelo Talmud”. A incógnita é o que acontecerá com o seu julgamento por corrupção.

Parlamento alemão define como genocídio a “grande fome” na Ucrânia

O parlamento alemão aprovou uma resolução que define de genocídio o ‘Holodomor´’, a “grande fome” que atingiu a Ucrânia em 1932-1933 e que terá vitimado mais de três milhões de ucranianos.
Comentários