NATO defende que Putin está a “usar inverno como arma de guerra”

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, acredita que a Rússia vai continuar a atacar a rede elétrica da Ucrânia, bem como a infraestrutura de gás e serviços básicos para o povo.

A Rússia provavelmente continuará a atacar a rede elétrica da Ucrânia, a infraestrutura de gás e serviços básicos para o povo, disse o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, esta segunda-feira, citado pela “Reuters”.

“Fazer isso quando entramos no inverno demonstra que o presidente [Vladimir] Putin está agora a tentar usar o inverno como arma de guerra contra a Ucrânia”, disse Stoltenberg a jornalistas numa conferência de imprensa em Bucareste, antes de uma reunião de dois dias dos ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO.

Os sucessivos ataques russos ao território ucraniano e os consequentes cortes de energia no país, numa altura em que a Ucrânia já enfrenta temperaturas negativas, são apontados por Kiev como genocídio. A Rússia, no entanto, nega ter esse objetivo com a invasão.

Volodymyr Zelensky avançou que as populações de 14 regiões, incluindo na capital, continuam com restrições no uso de energia devido aos cortes frequentes, depois dos ataques russos. O presidente ucraniano já avisou os cidadãos para estarem preparados para as consequências de novas investidas. “Enquanto tiverem mísseis, infelizmente não vão parar”, garantiu no domingo.

Esta segunda-feira, a Rússia anunciou também as mortes de uma centena de mercenários estrangeiros. As mortes decorreram de um ataque com mísseis de alta precisão na região de Donetsk, no Donbas. Além disso, os ataques russos tinham como objetivo afetar seis postos de comando ucranianos nas regiões de Kherson e Kharkiv e noutros pontos em Donetsk.

Relacionadas

Chefes da diplomacia da NATO reúnem-se em Bucareste para debater guerra na Ucrânia

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO vão reunir-se na terça e quarta-feira em Bucareste, capital da Roménia, para debater o aumento do apoio à Ucrânia, a resiliência da Aliança e os “desafios colocados pela China”.
Recomendadas

Ucrânia. Joe Biden nega envio de caças F-16 para apoiar na guerra

O presidente dos EUA deixou a garantia de que não vai enviar aquelas aeronaves de combate. Por outro lado, o presidente francês reúne hoje com o ministro da Defesa ucraniano e fez saber que não tomou ainda uma decisão.

Ucrânia: Alemanha não permitirá que guerra seja conflito entre Rússia e NATO

O chefe do governo alemão considerou tratar-se “de apoiar a Ucrânia”, de “ter um debate sério” para tomar decisões necessárias e não “uma competição [para ver] quem manda mais armas”.

Ucrânia: Secretário-geral da NATO defende mundo “interligado” pela segurança

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que o apoio da Coreia do Norte à Rússia na guerra da Ucrânia reforça a necessidade de o resto do mundo permanecer “interligado” para garantir a segurança.
Comentários