NAV já recebeu autorização para contrair empréstimo de 41 milhões de euros

O empréstimo será concedido pela Direção Geral do Tesouro à empresa pública responsável pela gestão do tráfego aéreo em Portugal.

A NAV, empresa pública responsável pela gestão do tráfego aéreo em Portugal, já recebeu autorização para contrair um empréstimo de 41 milhões de euros para fazer face aos constrangimentos de tesouraria provocados pela pandemia da Covid-19.

O anúncio foi feito hoje, dia 30 de junho, por Pedro Nuno Santos, durante uma audição na Comissão Parlamentar de Economia, Obras Públicas, e Inovação.

“Foi autorizado o empréstimo de 41 milhões de euros à NAV, portanto, desse ponto de vista, não teremos problemas. Era só o que faltava termos agora trabalhadores, ainda para mais empresas públicas, sem receber. Isso, neste Governo nunca vai acontecer”, assegurou o ministro das Infraestruturas.

Pedro Nuno Santos explicou ainda que o empréstimo será contraído através da Direção Geral do Tesouro.

“O empréstimo do Eurocontrol não foi aprovado porque a opção foi o Tesouro português fazer o empréstimo porque entendemos que nós conseguíamos melhores condições que as que estavam a ser oferecidas no quadro do empréstimo do Eurocontrol”, justificou o governante.

O ministro das Infraestruturas reconheceu ainda que o Estado tem neste momento uma dívida de 38 milhões de euros para com a NAV “por não ter pago os voos isentos”, mas não adiantou qual será a solução para esta questão.

 

 

Recomendadas

PremiumRede 5G, um ano e quatro mil antenas depois

Portugal arrancou com a tecnologia de quinta geração a 26 de novembro. NOS, a primeira a lançar, revela que conta com 3.200 estações instaladas.

PremiumOaktree, Cerberus e Vanguard na corrida à VIC Properties

A Alantra vai receber esta sexta-feira as propostas não vinculativas para a compra dos ativos da VIC Properties. A Vanguard deverá avançar para o Pinheirinho. Oaktree e Cerberus entre os interessados.

Marcas vs Catar: o difícil equilibrismo das maiores marcas do mundo. Veja o “Jogo Económico”

Do equilibrismo de quem patrocina a prova à anti-campanha de quem está de fora, estes dias estão entregues a uma espécie de Mundial de marcas com desfecho imprevisível. Daniel Sá, especialista em marketing desportivo e diretor-executivo do IPAM e Henrique Tomé, analista da corretora XTB, são os convidados desta edição.
Comentários