Neemias Queta, o barreirense que colocou Portugal no mapa: “Estar na NBA é surreal. Parece um filme”

Questionado pelo JE sobre o que espera da próxima temporada, tendo em conta a escassa utilização que teve ao serviço dos Sacramento Kings, o basquetebolista nascido no Barreiro reconheceu que tem de trabalhar para ter mais oportunidades: “A escolha cabe ao treinador, ele tem de escolher. Sabemos que não podemos jogar todos e sei tenho de trabalhar e estar pronto para quando chegar essa oportunidade”.

Cristina Bernardo

Neemias Queta, o primeiro jogador português a ser escolhido para uma equipa da NBA (há quase um ano), está em Portugal e, num encontro com jornalistas em Lisboa, fez o balanço da primeira temporada que desempenhou ao serviço dos Sacramento Kings. O jogador considera que, com este feito, colocou “Portugal no mapa”.

Recorde-se que Neemias Queta dividiu esta temporada entre a NBA e a G-League (liga satélite do basquetebol norte-americano) e acumulou minutos entre os Sacramento Kings e os Stockton Kings. No final, o registo na NBA foi de 14 jogos, média de nove minutos jogados nesta liga (119 minutos ao todo) e 3,2 pontos em média por jogo.

Questionado pelo JE sobre o que espera da próxima temporada, tendo em conta a escassa utilização que teve ao serviço dos Sacramento Kings, o basquetebolista nascido no Barreiro reconheceu que tem de trabalhar para ter mais oportunidades: “A escolha cabe ao treinador, ele tem de escolher. Sabemos que não podemos jogar todos e sei tenho de trabalhar e estar pronto para quando chegar essa oportunidade”. E como será na próxima época? Neemias realçou que quer continuar a trabalhar, com objetivos em mente: “ser um poste dominador na liga e ser um dos melhores defesas porque um dos treinadores disse-me que podia ganhar um prémio nessa posição. Isso motivou-me muito e quero cumprir esse anseio”.

Instado a comentar a relatar como foi a chegada à NBA, o basquetebolista português de 22 anos e 213 centímetros, considerou que integrar-se na melhor liga de basquetebol do mundo teve um enorme impacto: “É surreal estar ali naquele universo, parece um filme. Quando comecei, a NBA era um sonho e não um objetivo. A partir dos 17 anos, comecei a sentir que podia acontecer e felizmente as coisas acabaram por acontecer”. E houve praxe? Neemias confessou que foi incumbido de comprar comida para toda a equipa antes dos voos dos Sacramento Kings.

E para a próxima temporada? Terá o português que sair de Sacramento para jogar mais minutos? O português disse aos jornalistas que gosta de estar em Sacramento mas “desde haja interesse, podemos resolver isso muito facilmente”. Sobre a ausência dos Kings dos playoff (fase a eliminar na NBA que define o campeão da liga), Neemias reconhece que a equipa de Sacramento não se qualifica para esta fase há muitos anos mas assume o desafio: “Isso ainda dá mais fome. Temos um bom grupo e queremos acabar com essa maldição”.

Neemias Queta, jogador de 22 anos e 2,13 metros, foi o primeiro português a integrar uma equipa da NBA, depois de ter sido eleito pelos Sacramento Kings no 39º lugar do ‘draft’, realizado em 29 de julho do ano passado, em Nova Iorque.

Após três anos na Universidade de Utah State, ao serviço dos Aggies, o ex-jogador do Barreirense e do Benfica propôs-se ao ‘draft’, abdicando da época de ‘senior’, a quarta, e foi escolhido na nona posição da segunda ronda.

Recomendadas

“Jogo Económico”. FC Porto: Como o ‘quarteto’ do Olival valorizou 44 milhões de euros esta época

Dos 44 milhões de euros que resultou da evolução dos quatro jogadores que foram formados no Olival, academia de futebol do FC Porto, aos 25,3 milhões de euros, desvalorização do plantel azul e branco esta temporada, conheça os números que marcaram o trajeto dos “dragões”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Abramovich. Governo português com poder para travar venda do Chelsea

O Governo britânico está pronto para aprovar a venda do Chelsea, no valor de 4,25 mil milhões de euros, mas ainda existem obstáculos, revela a “BBC”.
Comentários