PremiumNegociações para a paz entram no léxico dos dois lados da guerra

Para além das acusações mútuas, que continuam a bom ritmo, as agendas russa e ucraniana são em absoluto inconciliáveis.

O primeiro sinal foi a insistência com que o presidente da Turquia, Recep Erdogan se referia ao assunto: a Rússia estaria aberta a negociações de paz. Depois, foi uma intervenção do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, no mesmo sentido. Finalmente, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse estar aberto a negociações para a paz – mas que sejam, “genuínas”, tal como Lavrov tinha já dito que deviam ser “sérias”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumBrigadeiros viajam do Brasil para a Madeira para trazer cor e sabor

Os brigadeiros são feitos pelas mãos de Bianca Barbosa, que já criou mais de 100 sabores. Hoje, a Lulu Brigadeiros vende, além dos brigadeiros, brownies, salames e bolos.

PremiumNancy Pelosi: o render da guarda da guardiã dos velhos democratas

Devidamente independente para uns, demasidado independente para outros, a “louca Nancy Pelosi”, como Trump lhe chamava, é apenas dois anos mais velha que Joe Biden

PremiumBAHR, aliança luso-nipónica

O restaurante BAHR &TERRACE, no Bairro Alto Hotel, em Lisboa, está a funcionar desde 2017, com uma cozinha que se aprecia da sala de refeições, desenhada especificamente pelo chef Hugo Rocha, que manda aqui.
Comentários