Negócios com empresas portuguesas caem nos primeiros sete meses de 2022

As fusões e aquisições caíram 24% para 249, em comparação com o mesmo período do ano passado, e o valor dos mesmos recuou 61% para 5,8 mil milhões de euros. Garrigues, JP. Morgane e Seale & Associates lideram assessorias.

Os primeiros sete meses do ano não foram animadores para as fusões e aquisições em Portugal, que contraíram quer em número quer em montante movimentado. Os negócios a envolver empresas nacionais caíram 24% para 249, em comparação com o mesmo período do ano passado, e o valor dos mesmos recuou 61% para 5,8 mil milhões de euros. Ainda assim, só cerca de metade das operações (46%) tiveram os seus valores revelados.

A conclusão é do novo relatório da Transactional Track Record (TTR), divulgado esta terça-feira e elaborado em colaboração com o Intralinks. Segundo as estatísticas, em termos sectoriais, foi o imobiliário que se manteve como o mais ativo entre janeiro e julho de 2022, com 53 transações. Segue-se o segmento de Internet, software e serviços de Tecnologias da Informação, com 33 operações.

“No âmbito cross-border [além-fronteiras], quanto à número de transações, Espanha foi o país que mais investiu em Portugal no período, contabilizando 24 transações. Em segundo lugar está França com 16 operações. As empresas portuguesas escolheram Espanha e Alemanha como principal destino de investimento, com dez e seis transações, respectivamente”, de acordo com a TTR.

O diretório destaca ainda que as empresas norte-americanas diminuíram em 53% as suas aquisições no mercado português entre janeiro e julho de 2022.

Por outro lado, no que toca aos fundos estrangeiros de private equity e capital de risco (venture capital) que investem em empresas portuguesas, houve um aumento de 7% nestes sete meses face ao mesmo período do ano passado. Os fundos de private equity fizeram 23 transações de M&A (de cerca de 1,2 mil milhões de euros) e os de venture capital entraram em 49 rondas de investimentos (de 571 milhões de euros).

O negócio do mês, para os especialistas da TTR, foi a aquisição da Smart Studios pela Round Hill Capital por 200 milhões de euros. A assessoria jurídica esteve a cargo dos escritórios pbbr, Morais Leitão e SRS Advogados. Ainda assim, a Garrigues continua a liderar o ranking de assessores legais este ano. Já a assessoria financeira é encabeçada pela JP. Morgan Chase International e pela Seale & Associates.

Se olharmos só para o mês passado, foram registadas 36 transações de M&A, entre anunciadas e encerradas, com um valor total de 538,94 milhões de euros.

Recomendadas

Grupo Stellantis e DST Solar nas Agendas Mobilizadoras

A inovação verde para a indústria automóvel passa pelas Agendas Mobilizadoras. O ISQ&CTAG irá investir 6,2 milhões de euros.

TAAG recebe aviso de greve dos pilotos com início a 7 de outubro

O Sindicato de Pilotos de Linha Aérea (SPLA) decretou uma greve a partir de 7 de outubro, tendo já sido enviado o aviso de greve à TAAG – Linhas Aéreas de Angola na sexta-feira, anunciou este sábado a companhia aérea angolana.

Infraestruturas de Portugal registou lucro de 32,4 milhões no primeiro semestre

Este valor significa uma recuperação de 71,3 milhões de euros em comparação com os prejuízos de 38,9 milhões de euros verificados no mesmo período de 2021.
Comentários