“Nem o presidente está acima da lei”. Trump acusado de abuso de poder e obstrução ao Congresso

Estes dois artigos representam o culminar de meses de investigação liderada pelos democratas da Câmara dos Representantes sobre as negociações do presidente norte-americano com a Ucrânia.

O Partido Democrata apresentou, esta terça-feira, os dois artigos através dos quais vai impor o processo de impeachment para a destituição de Donald Trump do cargo de presidente dos Estados Unidos da América: abuso de poder e obstrução ao Congresso norte-americano. “Nem o presidente está acima da lei”, disse o líder da Comissão de Justiça, Jerrold Nadler, cita a Reuters.

Numa conferência de imprensa em que estiveram presentes os líderes das seis comissões envolvidas na fase de investigação, os democratas anunciaram a ação judicial: “Hoje, em cumprimento do nosso dever perante a Constituição, acusamos o Presidente Donald J. Trump de altos crimes e delitos”, continuou Nadler, citando parte do artigo da Constituição norte-americana que enquadra o impeachment nos EUA.

Ainda antes do anúncio das acusações, Trump disse, no Twitter, que o processo de destituição contra ele é “pura loucura política”. A acusação formal torna Trump no terceiro presidente dos EUA a enfrentar um processo de impeachment na história do país.

Em causa está a acusação, feita pelo Partido Democrata, de que o presidente norte-americano pressionou o presidente ucraniano, Volodimir Zelenskii, a interferir em seu favor nas eleições presidenciais de 2020 nos EUA. Caso o homólogo ucraniano não anunciasse a abertura de investigações criminais que prejudicariam um dos possíveis adversários de Trump nas eleições de 2020 nos EUA, Joe Biden, a Casa Branca não desbloquearia o envio de 391 milhões de dólares em ajuda militar para a Ucrânia.

Relacionadas

‘Impeachment’: Casa Branca não vai participar nas audiências da próxima semana

O conselheiro da Casa Branca, Pat Cipollone, enviou uma carta na sexta-feira ao presidente do Comité Judicial da Câmara dos Representantes, Jerrold Nadler, alegando que a impugnação levada a cabo pelos democratas é “completamente infundada”.

Trump recorre ao Supremo para manter finanças pessoais em segredo

O presidente pediu esta quinta-feira ao Supremo Tribunal que mantenha os seus registos financeiros fora do alcance do Congresso liderado pelos democratas.

“Impeachment será usado como rotina para atacar futuros presidentes”. Trump reage ao anúncio de Nancy Pelosi

O presidente dos Estados Unidos utilizou a sua conta da rede social Twitter para reagir ao anúncio da Câmara dos Deputados que abriu caminho esta quinta-feira para a votação do impeachment.
Recomendadas

ONU em São Tomé elogia autoridades após ataque a quartel e pede que país seja “bom aluno”

Em entrevista à Lusa, Eric Overvest declarou que o escritório da ONU em São Tomé e Príncipe acompanhou, ao longo do dia, os acontecimentos, junto das autoridades, na sequência do assalto, por quatro homens, ao quartel militar, que o primeiro-ministro, Patrice Trovoada, classificou como “tentativa de golpe de Estado”.

PremiumJoe Biden arrisca teto para o preço do petróleo russo

A decisão não conseguiu consenso na União Europeia. Moscovo adverte que pode ser o primeiro passo para uma crise petrolífera sem precedentes. Com a Ucrânia às escuras e com frio, o Kremlin acha que a NATO já está a combater a Rússia.

Ex-ministro das Finanças do Luxemburgo vai liderar fundo de resgate da zona euro

Num comunicado hoje divulgado, o fundo de resgate do euro indica que “o Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade, que junta os 19 ministros das Finanças da moeda única, nomeou hoje o ex-ministro das finanças luxemburguês Pierre Gramegna para o cargo de diretor-executivo”, que ocupa a partir de 1 de dezembro.
Comentários