NetFlix encarna “tendência irreversível de ver TV”, realça investigador

A entrada em funcionamento do Netflix em Portugal, a partir de quarta-feira, integra-se numa “tendência irreversível de ver televisão de forma não linear”, afirmou à agência Lusa o investigador Francisco Rui Cádima, da Universidade Nova de Lisboa. O serviço pago de televisão pela Internet da empresa norte-americana Netflix começa a funcionar na quarta-feira, em Portugal, […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A entrada em funcionamento do Netflix em Portugal, a partir de quarta-feira, integra-se numa “tendência irreversível de ver televisão de forma não linear”, afirmou à agência Lusa o investigador Francisco Rui Cádima, da Universidade Nova de Lisboa.

O serviço pago de televisão pela Internet da empresa norte-americana Netflix começa a funcionar na quarta-feira, em Portugal, disponibilizando milhares de horas de séries e filmes para visionamento em suportes com ligação à Internet, seja um computador ou um telemóvel, mediante o pagamento de uma mensalidade.

Para Francisco Rui Cádima, a televisão tradicional desaparecerá dentro de 15 a 20 anos, precisamente por causa das mudanças de consumo audiovisual por parte das populações mais jovens.

“As camadas mais jovens perderam o hábito de ver televisão em direto”, sublinha o investigador. Além disso, o aparecimento destes serviços de televisão pela Internet são também “mais uma machadada no progressivo declínio” da exibição de cinema.

“O cinema irá perdurar numa lógica de nicho, para quem tem prazer em ver cinema em ecrã grande”, opinou.

O Netflix, um dos maiores serviços mundiais de “streaming” de conteúdos de entretenimento (visualização sem necessidade de descarregamento), está presente em mais de 50 países e conta com mais de 69 milhões de utilizadores.

Em comunicado, a empresa norte-americana afirma que, com este tipo de serviço, os consumidores decidem “como, onde e quando podem usufruir da sua programação de entretenimento”.

“Os assinantes podem ver, fazer pausas e retomar a visualização de séries e filmes em vários dispositivos, sem publicidade”, afirma. Em Portugal, toda a programação será traduzida e legendada em português.

Para Francisco Rui Cádima, “o consumidor hoje não pode ser entendido como um espectador passivo. A tendência é de transformação num navegador ativo, um utilizador produtor com acesso a vários interfaces: vê televisão, manda mensagens, vê o email”.

De acordo com os dados mais recentes da Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM), no final do segundo trimestre de 2015 “o número de acessos fixos à Internet em Portugal atingiu os três milhões”.

Em Portugal, em cada 100 famílias, 61,5 tinham serviço de banda larga fixa em casa, durante aquele período, segundo a ANACOM.

OJE

Recomendadas

Business Roundtable crítica complexidade da redução do IRC para aumentos salariais em 2023

A Associação Business Roundtable Portugal (BRP), constituída por empresas e grupos empresariais relevantes em Portugal e liderada por Vasco de Mello, fez um comentário ao Orçamento do Estado para 2023. O destaque vai para as críticas à complexidade do incentivo no IRC às empresas que aumentem os salários.

H&M vai cortar 1.500 postos de trabalho

“O programa de corte de custos e aumento da eficiência que iniciámos envolve a reestruturação da organização”, disse a presidente executiva da multinacional, Helena Helmersson.

Greve dos trabalhadores da CP suprimiu 143 comboios até às 08:00 (com áudio)

Os trabalhadores da CP – Comboios de Portugal cumprem hoje uma greve de 24 horas, em conjunto com os trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP), com a CP e a Fertagus a preverem perturbações na circulação.