Respostas Rápidas. B SAD exige repetição do jogo contra Benfica. O que está em causa?

Direção da Liga reuniu-se esta segunda-feira para analisar as circunstâncias do jogo que durou 48′ minutos e onde o Belenenses Sad alinhou com nove jogadores devido ao surto de Covid-19 que atingiu o plantel.

Lusa

O encontro da 12ª jornada da Liga Bwin entre o B-SAD e o SL Benfica terminou aos 48 minutos, do último sábado, 27 de novembro, com um resultado de 0-7, depois de os ‘azuis’ terem ficado sem o número mínimo de futebolistas, após terem começado apenas com nove, devido a um surto de Covid-19 que atingiu o plantel.

Qual foi a reação do B-SAD?

Na sala de imprensa do estádio do Jamor, Rui Pedro Soares, presidente do B-SAD, não poupou críticas à Liga, a quem acusou de ter obrigado o B-SAD a ir jogo sob pena de o clube ter falta de comparência e verem-lhe subtraídos pontos na secretaria, além de uma multa.

“Termos jogado aqui hoje foi uma vergonha para todos nós menos para os nove que se apresentaram em campo. Ontem fizemos testes antigénio, esses testes deram um conjunto de resultados positivos que foram comunicados. Durante o dia de hoje, foram realizados testes PCR para confirmar os antigénio. A meio da tarde, colocámos à Liga que não queríamos realizar o jogo, mas foi-nos dito que tínhamos 8 jogadores em condições de ir a jogo, e como tal, se não fôssemos a jogo tínhamos falta de comparência. Desses oito, havia um que estava lesionado há meses e outro que estava na África do Sul porque foi impedido de entrar em Portugal por não ter visto de residente, apesar de morar aqui há mais de 4 anos. Não conseguiu viajar para cá. Só que os regulamentos não preveem que a falta desse jogador fosse considerada justificada. Esse jogador estava apto para o jogo”, afirmou.

Já no domingo o clube revelou ter enviado um e-mail na tarde de sábado a pedir o adiamento do encontro. Em comunicado o Belenenses SAD revelou que “às 14h34, informou formalmente a Liga da decisão da DGS de colocar 44 membros do grupo de trabalho em isolamento. Ao contrário do que seria expectável a Liga não respondeu a este email e apenas enviou uma mensagem WhatsApp para o Presidente com uma lista de 8 jogadores que considerava aptos para ir a jogo”.

No mesmo documento é referido que a 90 minutos do início da partida a Direção-Geral de Saúde “atualizou os contactos de risco e retirou três jogadores de isolamento”, permitindo à Belenenses SAD “dispor de nove jogadores para apresentar no jogo”. “Obviamente, a Belenenses SAD continuava a entender que o jogo não podia realizar-se e solicitou imediatamente à Liga e ao Benfica o adiamento do encontro. O Presidente do Benfica entendeu que naquele momento não era ao Benfica que competia o poder de adiar o jogo”.

Que posição tomou a Liga?

Depois do final do jogo a Liga deu conta à agência Lusa de que “não houve nenhum pedido formal” do Belenenses SAD a solicitar o adiamento do jogo com o SL Benfica. Já no domingo o órgão responsável pelo principal campeonato de futebol informou que esta segunda-feira iria reunir-se para discutir tudo o que envolveu o encontro do último sábado, adiantando que vai pedir com “caráter de urgência” uma reunião com a Secretaria de Estado da Saúde, a Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto e a DGS.

Já esta segunda-feira, Sónia Carneiro, ex-diretora executiva da Liga, em declarações à CNN Portugal, explicou que “não havia forma de a Liga adiar unilateralmente o jogo. Alguma coisa de estranho se passou para que tenha havido uma alteração de procedimento por parte da autoridade de saúde local. Em termos do que a Liga poderia ter feito, e não podemos dizer que há culpados, era só basicamente magistratura de influência para convencerem os dois clubes a que não fossem a jogo naquela circunstâncias”.

O que diz a Direção-Geral de Saúde?

Confrontada com tudo o que aconteceu no relvado do Jamor, a DGS, através de Graça Freitas, considerou que as autoridades de saúde não têm de fazer a avaliação dos jogos que ficaram ou não isolados. ”

“É uma competência exclusivamente desportiva”, apontou Graça Freitas em entrevista à “TSF”, acreditando que as entidades da saúde não têm de intervir nestes casos. “À saúde cabe detetar e isolar casos e contactos. Não é da competência da saúde, de todo. Será da competência da Liga, dos clubes, do que for”, reconheceu a diretora da DGS.

“Eu não sei regras desportivas, essas competências devem ser separadas. À saúde, a saúde. Ao desporto, o desporto”, salientou Graça Freitas, adiantando que todos os jogadores que tiveram em campo vão fazer parte do plano de testagem por precaução. “Tratando-se de uma nova variante, temos de apertar a malha”, explicou a diretora.

Pode o estádio do Jamor ser interditado?

Em declarações à agência Lusa, o advogado Fernando Veiga Gomes, sócio da firma Abreu Advogados revelou que o estádio do Jamor poderá ficar interditado entre um a três jogos, além de uma multa com base no artigo 118.º do Regulamento Disciplinar do organismo.

“O protocolo covid-19 do Plano Específico Para o Futebol Profissional não tem nenhuma disposição disciplinar específica, o que remete para o Regulamento Disciplinar. Não conheço os factos, mas poderá estar em causa o incumprimento de outros deveres referidos no Artigo 118.º desse regulamento”, referiu Veiga Gomes.

O artigo em causa fala em situações como “a criação de uma situação de perigo para a segurança dos agentes desportivos ou espetadores”, assim como um “grave prejuízo para a imagem e o bom nome das competições de futebol”.

Qual a reação do SL Benfica?

Rui Costa, presidente do clube afirmou no sábado depois do final do jogo que “devemos estar todos envergonhados. Quero lamentar o que aconteceu aqui hoje. É uma página negra do futebol português e do país”, explicando que “em nenhuma circunstância o Benfica foi tido ou achado para que este jogo se realizasse”.

“O Benfica cumpriu o regulamento, tal como o Belenenses, que foi obrigado a jogar. Devemos estar todos envergonhados, mas o Benfica em nada é responsável por esta página negra. Não nos agradou entrar no campo nestas condições, não dignifica o futebol português, mas não nos coloquem esse ónus. A Liga e a e a DGS não cancelaram o jogo, portanto não cabia ao Benfica essa responsabilidade, e se não nos apresentássemos poderíamos ser nós a ser prejudicados com perda de pontos”, afirmou Rui Costa.

Como reagiram os outros clubes?

A situação que envolveu B-SAD e SL Benfica mereceu também as críticas dos clubes rivais, nomeadamente FC Porto e Sporting CP. Em comunicado, o emblema portista tiveram como alvo o secretário de Estado do Desporto, João Paulo Rebelo, mas também o presidente do B-SAD, Rui Pedro Soares.

“O triste espetáculo de Oeiras é a cereja no topo do bolo que marca o fim dos mandatos de um dos mais incompetentes governantes da história de Portugal, João Paulo Rebelo, poucos dias depois de o Parlamento ter revogado por unanimidade a iniciativa mais significativa que concebeu, o inútil cartão do adepto. As marcas de um acontecimento tão estapafúrdio não se esbaterão tão cedo. Nem as lágrimas de crocodilo do presidente da B SAD ajudarão a diluí-las”, revelou o comunicado.

Já o rival da Segunda Circular salientou que “o futebol português como um todo sai hoje seriamente prejudicado, assim como os clubes que dele fazem parte e lutam apenas em campo. O que se está a passar tem implicações graves na credibilidade deste campeonato e das instituições que o regulam. A situação não pode, ou não devia, deixar ninguém indiferente porque assim o futebol português nunca será levado a sério”.

Pode o jogo ser repetido?

O B-SAD divulgou na segunda-feira um comunicado onde pede a repetição do encontro com o SL Benfica, alegando que o regulamento de competições da Liga indica que “quando o jogo tiver sido dado por findo pelo árbitro antes do termo do seu tempo regulamentar, o resultado que o mesmo registe não será homologado, sendo designado novo jogo pela Liga Portugal, salvo nos casos expressamente previstos nos regulamentos”.

O B-SAD entende deste modo que a Liga não deve homologar o resultado de 0-7. “Os regulamentos não preveem expressamente o caso de um jogo ser dado por findo pelo árbitro antes do termo do seu tempo regulamentar, ou seja, não preveem o que deve acontecer nesse caso. Consequentemente, a Liga Portugal não deve homologar o resultado do jogo, devendo designar novo jogo, ficando a Belenenses SAD disponível para acertar a data do novo jogo nos termos dos regulamentos e dos calendários de ambas as equipas”, pode ler-se no comunicado.

De resto, este pedido do clube já está ser levado a cabo pelos jogadores através de mensagens nas redes sociais, numa foto onde surgem os nove jogadores que entraram no relvado do Jamor no último sábado. “Os olhos estão postos em nós. Cabe-nos a todos, futebol profissional, dar a única resposta que pode repor a verdade e a integridade da competição: repetir o jogo”, refere a mensagem.

Relacionadas

DGS: Responsabilidade do jogo Belenenses SAD-Benfica cabe às entidades desportivas (com áudio)

“Será da competência da Liga, dos clubes, do que for”, reconheceu a diretora da DGS quanto ao jogo do Belenenses SAD-Benfica, que decorreu no sábado. Para Graça Freitas, as entidades desportivas, depois de terem conhecimento das infeções, deveriam ter decidido o que fazer a seguir.
Recomendadas

Mundial2022. Croácia nas meias-finais após eliminar o Brasil nos penáltis

A Croácia qualificou-se esta sexta-feira para as meias-finais do Mundial de futebol de 2022, ao vencer o pentacampeão Brasil por 4-2 no desempate por penáltis, após 1-1 nos 120 minutos, no primeiro encontro dos quartos de final.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Mundial2022: Fernando Santos admite “azia” de Ronaldo, mas nega eventual abandono

O selecionador português de futebol, Fernando Santos, admitiu hoje que Cristiano Ronaldo ficou insatisfeito quando soube que seria suplente frente à Suíça, mas negou que o avançado tenha manifestado vontade de abandonar a concentração lusa no Mundial2022.
Comentários