Nós Cidadãos pede explicações sobre atrasos na conclusão das obras na rua 5 de outubro e 31 de janeiro

O partido quer saber o que correu mal para não se ter cumprido com o prazo estabelecido para a conclusão da obra, quem foi o responsável por esses atrasos, e se isso vai implicar custos acrescidos.

O Nós, Cidadãos quer saber quando é que se vão finalizar as obras na rua 5 de outubro e na 31 de janeiro.

O partido lembra que estas obras depois de muitas promessas acabaram por ter o seu início, mas que a data prevista para o seu término, apontadas pelo secretário regional do Equipamento e Infraestruturas, Amílcar Gonçalves, acabaram por não se concretizar.

Esta situação diz o Nós, Cidadãos, quando nos aproximamos do natal, tem levado a que os utilizadores destas vias esperem e desesperem” pela conclusão da repavimentação. O partido alerta ainda que a não conclusão da obra faz perigar a segurança principalmente dos motociclistas tendo em conta as reparações que também estão a ser feitas nas redes pluviais, de esgoto, águas, electricidade e telecomunicações.

Nesse sentido o partido pergunta ao secretário regional sobre o que “correu mal face ao inicialmente planificado” e quem foi o responsável pelo “sucessivo adiar” das obras e se haverá “custos acrescidos” face ao que estava orçamentado.

Recomendadas

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos da Região cresceu cerca de 40% face a 2019

No aeroporto da Madeira, e no mês em análise, o tráfego de passageiros distribuiu-se equitativamente entre o tráfego doméstico (47,4% do total) e o tráfego internacional (52,6%).

Funchal: Aldeia de Natal abre a 9 de dezembro com regresso do comboio e prolongamento do horário de funcionamento

Outro aspeto destacado por Cristina Pedra foi a renovação do design e imagem da Aldeia de Natal e que inclui uma árvore de Natal de nove metros, bem como diversos pinheiros naturais, que  quando acabar o evento voltarão ao Parque Ecológico do Funchal.

Madeira: Aprovado relatório da Comissão de Inquérito à linha de crédito INVEST-RAM

O relatório mereceu os votos favoráveis PSD e do CDS-PP, os votos contra do PS, partido proponente do inquérito, e a abstenção do PCP.
Comentários