Nova delegação norte-americana visita Taiwan

Depois da visita de Nancy Pelosi, líder dos Representantes dos Estados Unidos, uma nova delegação de congressistas viajou para Taiwan.

Nancy Pelosi, presidente democrata da Câmara dos Representantes

Uma delegação de parlamentares dos Estados Unidos chegou a Taiwan este domingo, 14 de agosto, para uma visita de dois dias que tem previsto um encontro com a presidente Tsai Ing-wen. É o segundo grupo de alto nível que viaja para a ilha no meio de um clima de crescente tensão política e militar com a China.

A delegação de cinco deputados, liderada pelo senador democrata Ed Markey, do Estado de Massachusetts, reunirá com líderes de Taiwan para discutir as relações dos Estados Unidos com a ilha, segurança regional, comércio, investimento e outros assuntos, informou o Instituto Americano de Taiwan.

A China, que reivindica o território de Taiwan, vem realizando exercícios militares ao redor da ilha para expressar sua indignação com a visita deste mês da presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi. A visita desencadeou uma das maiores crises entre os Estados Unidos e a China – que de imediato ripostou com a organização de mega-exercícios militares que praticamente sitiaram a ilha por todos os lados.

Neste último sábado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Taiwan expressou “sincera gratidão” aos Estados Unidos por terem tomado “ações concretas” para manter a segurança e a paz no Estreito de Taiwan.

Considerado por vários analistas um ato de provocação que devia ter sido evitado, os Estados Unidos dão assim mostras de que não estão interessados em deixar-se pressionar pelas iniciativas militares do Império do Meio. Neste clima de parada-resposta, a China também não deverá deixar de avançar com uma qualquer iniciativa.

A ONU já deu mostras do seu descontentamento face ao que se está a passar em torno de Taiwn – que entretanto já está a sentir a imposição de sanções económicas por parte da China, que decidiu impedir o comércio de alguns bens para e de Taiwan.

Recomendadas

Presidente do governo catalão vai continuar a governar apesar de fim de coligação

“Não abandono os cidadãos em momentos tão complicados como o atual”, disse Pere Aragonès, que se referia à crise gerada pela guerra na Ucrânia e pelo aumento de preços.

Comissão eleitoral da Bósnia-Herzegovina investiga alegadas irregularidades eleitorais

Dodik, o mais poderoso líder sérvio bósnio desde 2006, negou as alegações.
Comentários